Um blog destinado à luta contra a instauração de uma nova ditadura no Brasil







domingo, 31 de julho de 2011

Passeata do orgulho de estar vivo

Leiam a materia abaixo, depois comento:


31/07/2011 16h53 - Atualizado em 31/07/2011 18h13

Ato em Copacabana protesta contra a impunidade em crimes no Rio

Grupo distribuiu máscaras da engenheira Patrícia e do menino Juan.
Manifestantes fincaram cruz e depositaram três mil rosas na areia da praia.




Famílias vítimas de crimes ainda não esclacrecidos fizeram um ato, na tarde deste domingo (31), na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio. O protesto intitulado de Marcha contra a Impunidade foi criado pela Organização Não Governamental Rio de Paz. Segundo a coordenação do movimento, cerca de 800 pessoas participaram da caminhada na orla.

Os organizadores do ato distribuíram máscaras com o rosto da engenheira Patrícia Amieiro Franco, desaparecida desde 2008, e do menino Juan, morto após uma operação policial na comunidade onde morava, em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, em junho. Em ambos os casos, os acusados pelos crimes são policiais militares.

Três mil rosas e cruz na areia
Os manifestantes explicaram que o protesto também teve como objetivo atrair a atenção da população para as mais de 30 mil mortes violentas que aconteceram no Rio, nos últimos quatro anos. O grupo reivindica o julgamento e a punição para os assassinos do menino Juan e a manutenção da investigação em casos de auto de resistência, como são chamadas as mortes em confronto policial.

Ao final da marcha, os participantes se reuniram na Praia de Copacabana, na altura da Avenida Princesa Isabel, onde depositaram três mil rosas e fincaram uma cruz de cinco metros de altura. Segundo os organizadores, o número de rosas fincadas na areia corresponde a 10% dos homicídios ocorridos no período entre 2007 e 2011, no Rio.

A Ong Rio de Paz informou que participaram da Marcha contra a Impunidade, os pais da engenheira Patrícia Amieiro, os parentes do menino João Roberto, morto por policiais em 2008, além do pai da estudante Gabriela Prado. A menina morreu em 2003, vítima de bala perdida, após um tiroteio entre criminosos e policiais, na saída da estação do metrô São Francisco Xavier, na Zona Norte do Rio.


COMENTO
De todos os efeitos nefastos da política esquerdista, o pior deles é a desistência da imposição da lei como fator fundamental do desenvolvimento de um país. É uma ideologia que deixa as pessoas tão obcecadas com questões de classe que elas ficaram cegas para o fato de que NÃO EXISTE SISTEMA DE SOCIEDADE QUE POSSA EXISTIR SEM UM CONSENSO GENERALIZADO DE QUE É PRECISO OBSERVAR E OBEDECER ALGUMAS REGRAS FUNDAMENTAIS DE COMPORTAMENTO. Talvez a mais fundamental de todas seja a proibição absoluta de tirar a vida de alguém. 

A esquerda, cínica que só ela, não só nega esse preceito, mas COMBATE A APLICAÇÃO DAS LEIS QUE SÃO CONSTANTEMENTE RELATIVIZADAS EM FUNÇÃO DE QUESTÕES DE CLASSE E OBJETIVOS REVOLUCIONÁRIOS.

O resultado de tudo isso, além da corrupção desenfreada das autoridades, é a manutenção da violência decorrente do vale-tudo em nome da causa. No caso dos assassinos, trata-se de causa própria é claro. A ideia é que se o partido pode roubar em nome da sua causa, o bandido pode roubar e assassinar em nome da sua. É mesma relativação da lei, no fundo o mesmo comportamento, sempre justificado na cabeça da canalha do planalto, assim como na cabeça do canalha do morro, do centro, ou de qualquer lugar onde possa se encontrar o bandido.

Enquanto a esquerda luta pela hegemonia da luta de classes, a sociedade baseada na confiança e respeito mútuo de seus cidadãos vai se desintegrando. A nação está derretendo na luta em vez de se fortalecendo na solidariedade.

Mais uma vez, o marxismo vai formando mais uma imensa poça de sangue. 50 mil assassinatos por ano e a esquerda impõe o debate sobre a homofobia e controle da mídia, é de dar nojo.

sábado, 30 de julho de 2011

E agora Marta?




Êta políticazinha mais ou menos! Marta finge que ainda não é pré-candidata, Lula finge que não é contra as prévias, ele faz até questão de lembrar que foi ele que as implementou no partido (não sei se é verdade).

O time molusco está mesmo disposto a modificar o estatuto do PT para que o barba possa enfiar o Haddad goela abaixo do partido. Mas esse negócio de mudar estatuto é complicado, tem que ter convenção, Lula tem que ler a convenção (ou pedir que alguém a leia para ele) e convenhamos, o PT paulista não bota muita fé no competentíssimo ministro da incultura e a marta tem até como peitar (com silicone) o apedeuta e lutar pela vaga.

Só que a Marta pertence ao PT e é muito provável que o PT pertença ao Lula. Seu partidinho particular onde ele faz o que quer com quiser. Ou não?

Este blog vem acompanhando o desenrolar dessa novela petista com atenção, pois o que está em jogo é a força pessoal do Lula contra a força partidária do PT. Nos últimos anos, o partido vem perdendo sua identidade, integridade e vários quadros importantes, entre eles membros fundadores de prestígio.

Essa questão de prévias seria até uma oportunidade para o partido continuar sendo um partido e não o playground do barba.

Ou já podem mudar de nome, eu sugiro PLULA, mais realista.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Programa de aceleração dos lucros dos bancos, o PALB




Vamos ter que começar a bater nessa tecla: o Brasil torrou 223 bilhões de reais nos últimos 12 meses para pagar os JUROS DA DÍVIDA PÚBLICA. Equivale ao orçamento de TRÊS ANOS DE SAUDE PÚBLICA do país inteiro SÓ DE JUROS, ou seja, nem serve para abater a dívida!

ISSO É UM ESCÂNDALO DE PROPORÇÕES MONUMENTAIS! OS PETISTAS ESTÃO ENTREGANDO NOSSO DINHEIRO, O DINHEIRO DO POVO AOS BANQUEIROS!

AJUDE A ESPALHAR ESSA NOTÍCIA VERGONHOSA PARA QUE O POVO SAIBA A VERDADE SOBRE OS VIGARISTAS QUE NOS GOVERNAM

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Lula se precipita?



Nunca houve dúvidas em relação a esta fraude chamada Dilma. A mulher só está ali para fraudar a obrigação de alternância do poder imposta pela constituição, nossa lei fundamental. Evidentemente o estelionatário barbudo declarou por muito tempo que não, que a poste vai tentar dois mandatos, que seria uma presidente independente e capaz. Quem tivesse um mínimo de percepção política não engoliu essa balela e votou ou no Serra, ou na Marina. Lula vai ser candidato em 2014, mas como?

Primeiro, ele tem de continuar a mandar com mão de ferro no PT. Isso explica a queda de braço com outros figurões do partido em torno das possíveis prévias que escolheria os candidatos do partido para as eleições municipais paulistas em 2012. Ele manobra para alterar o estatuto do PT que prevê prévias para a escolha dos candidatos do partido. É democracia demais para ele. Trata-se de um assunto importante que vale a pena ser seguido de perto. É um jogo perigoso para um partido que tem duas lideranças de peso que podem ser jogadas uma contra a outra, pois queira ou não queira, a presidência automaticamente torna a Dilma numa liderança peso. O risco de racha no PT é permanente, já que o partido sem a presidência é um zero à esquerda.

Segundo, ele tem de se manter exposto na mídia já que sem sua popularidade, o cara é um zero à esquerda. E ele tem aparecido muito graças a palestras, viagens, homenagens e prémios recebidos. Talvez até um pouco demais. É muito cedo, faltam três anos e três meses para as eleições de outubro de 2014. Será que palestras e homenagens terão tanta exposição durante tanto tempo? É claro que ele sempre dá um jeito de proferir uma daquelas bobagens polémicas que os jornais adoram publicar, a última foi que "rico não precisa de governo". Mas a pergunta permanece: essas artimanhas podem surtir efeito durante tanto tempo?

O Lula precisa conquistar alguns obstáculos para chegar com força em 2014, enquanto isso, pelo bem da nação, a blogosfera do bem continuará a torcer contra ele pelo bem do Brasil, dos pobres e dos trabalhadores. Mas admito, não vai ser fácil competir com a ajuda que o molusco recebe dos banqueiros, os maiores beneficiários de seu governo...

Anistia ampla, geral e irrestrita?


QUEM VAI PAGAR PELO ASSASSINATO DO KUKA? A VIDA DELE NÃO VALIA NADA SEUS "HUMANISTAS"?
 Deu no Estadão que os esquerdopatas estão forçando a barra para tentar condenar o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra (Aqui. ) por uma morte que ocorreu durante o regime militar. 

A guerra fria já acabou, a esquerda na época matou e torturou, o regime militar revidou matando e torturando também. A sociedade brasileira tomou partido em favor do regime militar que teve amplo apoio popular. Ninguém queria saber de comuna no Brasil e com razão. A essas alturas, já tinha ficado claro o resultado catastrófico e sanguinário que esse tipo de regime teve no mundo. Não queríamos banho de sangue no Brasil, mas o ódio marxista é forte, não há como negar.

Tanto é forte que, apesar do caráter marginal do movimento marxista na época, muitos manés decidiram tentar realizar o pesadelo comunista, inclusive pela luta armada, a tortura, o assassinato e o roubo. Receberam o troco e perderam a luta, graças a Deus. Então a ditabranda concedeu, de comum acordo com a sociedade, uma anistia ampla, geral e irrestrita que teve como objetivo de colocar um ponto final nessa guerra e restaurar a democracia.

Mas o manés não desistem! O jogo já terminou, já evacuaram as arquibancadas, já fizeram a limpeza do estádio e apagaram as luzes, mas tem alguns idiotas que ficaram lá, insistindo, fazendo de conta que o jogo continua!

É por isso que NÃO DÁ PARA ACREDITAR EM ESQUERDISTA nem um pouco ! Eles prometem que querem anistia geral, ampla e irrestrita, OS VIGARISTAS QUEREM SÓ PARA ELES! ELES NÃO TÊM HONRA, NÃO TÊM PALAVRA, SÃO UNS ENERGÚMENOS! QUEREM REACENDER O FOGO DO ÓDIO, NÃO QUEREM A PAZ!

Minha grande consolação é que sou jovem o suficiente para que em 30 anos eu ainda esteja por aqui e essa velharia toda já vai estar gagá ou morta pela idade ou pela cachaça. E eu vou continuar a contar a verdade.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Democracia surtindo efeito. Ou: o fim do dedaço?




Foi fato notório que o PT, na convenção que oficializou a Dilma como candidata à presidente, apenas homologou uma decisão que já tinha sido tomada pelo Lula. Ou seja, a escolha do partido refletiu simplesmente a escolha pessoal do apedeuta, procedimento chamado por FHC na época de "indicação com o dedaço".

Era impressionante a mão de ferro com a qual o ex-presidente decidia o rumo do seu partido, rompendo velhos dogmas como a manutenção da política econômica do PSDB, satanizada durante anos pelos petistas por ser (que piada) “neoliberal", assim como o forjamento de alianças com adversários históricos do petismo como o Sarney (que resultou até em greve de fome de deputados petistas na câmara federal) e com ninguém menos que Fernando Collor de Mello que Lula chamara de débil mental na época do impeachment.

Agora que Lula não é mais presidente, não possui mandato algum, parece que o dedaço está se transformando em dedinho. Para as eleições municipais de 2012, lá foi o dedaço tentar enfiar goela abaixo do partido Fernando Haddad, ministro da educação e assassino da inteligência. Não queria saber de prévias e isso tinha lá sua lógica: não houve prévias para presidente, por que haveria prévias para prefeito de São Paulo?

Será que Marta Suplicy que quer a vaga está com essa força toda para derrubar o dedaço de Lula? Bom pelo menos ela é senadora, né? E tem o ex-marido dela que também está de olho na vaga. E tem o Mercadante. Será que foi um esforço coordenado para derrubar o dedaço?

Hoje Lula diz que nunca foi contra as prévias, que foi ele que inventou as prévias, que nunca antes da história do PT houve prévias antes de ele propô-las...

A imprensa não está dando muita bola para tudo isso, mas é importante sim, pois se trata da evolução do poder pessoal do molusco pós-presidência, o palestrante.

É claro que a história ainda não terminou, será que vai haver previas mesmo? E se houver prévias, será que elas serão apenas uma formalidade para a imposição do dedaço como aquela convenção do PT que "indicou" a Dilma?

A Venezuela afundando e o Brasil impotente

BRASIL: GIGANTE IMPOTENTE POR EXCESSO DE PT


Não é preciso ser algum tipo de génio para perceber que a Venezuela está caminhando a passos ligeiros na direção de um abismo institucional. Os sinais são claros: um presidente e um partido que declaram abertamente serem revolucionários e que essa revolução pressupõe a manutenção desse mesmo partido e desse mesmo presidente no poder por um tempo indeterminado. Hoje Chávez anunciou que quer ficar no poder até 2035.

 Não é preciso ser um antichavista para reconhecer que isso significa o fim da democracia. A revolução também está desorganizando a economia do país de tal maneira que começam a faltar produtos nas prateleiras, a inflação é a pior das Américas e a infraestrutura do país está em frangalhos com apagões constantes. O caos social resultante faz do país um dos mais violentos do mundo com um índice de homicídios de 70 por 100,000 na capital Caracas (três vezes mais do que o índice do Rio de Janeiro).

Por causa de tudo isso a popularidade do Presidente autoritário Hugo Chávez não garante sua reeleição em 2012, além de ele ter sido diagnosticado com um câncer que promete ser bastante debilitante, se não fatal. O irmão de Hugo, Ádan Chávez fez uma declaração admitindo a luta armada. No princípio do ano, o presidente da Assembleia, Fernando Soto Rojas também fez uma referência a esta possibilidade.

E o Brasil com isso? A resposta é simples: que país gostaria de ter um vizinho relativamente importante em termos econômicos e de população (quase 30 milhões) engolido por um turbilhão político, econômico e social, com guerra civil e suas consequências imprevisíveis?

E o que nós fizemos, como maior potência da América do Sul, para ajudar a evitar que as coisas chegassem a esse ponto? ABSOLUTAMENTE NADA. Foi como se nós nem existíssemos. E por quê? Por causa do alinhamento ideológico do aspone Marco Aurélio Garcia, do sicofanta Celso Amorim e do imbecil-mor Lula com Hugo Chávez, o destruidor. 

segunda-feira, 25 de julho de 2011

O execrável Anders Behring Breivik, o Che Guevara da Direita

 "Hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás."

Pessoas como esse Anders, assassino cruel e execrável de pessoas inocentes e indefesas, me fazem lembrar porque eu não sou esquerdista: se eu fosse esquerdista teria que venerá-lo, defendê-lo, cantar suas glórias e usar sua imagem estampada numa camiseta. Afinal, ele estava apenas defendendo sua ideologia, não é mesmo?- Ah, diriam os esquerdistas, - mas sua ideologia é a ideologia errada, pois não é de esquerda!

Isso é o que a imbecilidade marxista não entendeu, quando você aceita tirar a vida de uma pessoa, você já saiu do terreno das ideias, você embarcou no terreno da brutalidade e do totalitarismo. As vítimas de Anders Behring Breivik têm a mesma chance de discutir sobre a validade de suas ideias que tiveram as vítimas do assassino execrável de pessoas inocentes chamado Ernesto "Che" Guevara de la Serna. E pode incluir aí Fidel e Raul Castro e todos os assassinos desse bando que executaram milhares de cidadãos fora de situação de combate.

Segundo relatos históricos, científicos, e testemunhos de pessoas presentes, inclusive colegas dele, Che Guevara aprisionou e executou pessoas da maneira mais leviana possível. Os julgamentos eram um simulacro de justiça, os juízes e as testemunhas, pessoas programadas para odiar e condenar à morte. E ele fez tudo isso serenamente, tirando a vida de centenas de pessoas sem o menor pudor, cuidado, sem a menor consideração pela vida e pelo sentimento humano. Ernesto Ché Guevara era um monstro, frio, assassino, como os piores diretores de campos de concentração nazistas, ou gulags soviéticos.  É a imagem desse elemento que nossas crianças, amigos e parentes desfilam tão inocentemente pelas ruas em camisetas, bandeiras etc. Leiam mais aqui.

GRAÇAS A DEUS QUE NÃO SOU ESQUERDISTA, POIS NÃO TENHO DE ADMIRAR ASSASSINO ALGUM! Pobres dos esquerdistas que têm que encontrar alguma maneira de justificar pessoas como o Anders Behring Breivik e Che Guevara. Que Deus tenha piedade de suas almas, dos assassinos e seus admiradores.  

sábado, 23 de julho de 2011

Extorsão na Agencia National do Petróleo. Ou: Burocracia serve para isso mesmo





Para que serve nossa burocracia? Ela serve para criar dificuldades e vender facilidades, é o que estamos vendo na ANP, onde funcionários da agência foram gravados pedindo propina. Em troca eles prometiam a solução de pendências de clientes.
É por isso que esses parasitas que são incapazes de trabalhar duro e ganhar a vida honestamente têm horror às privatizações, é que eles vão ficando sem ninho.
Lula defende os pobres todos os dias, dizendo que só ele entende como é o sofrimento dos pobres. Entretanto foi o governo dele que mais inchou a nossa burocracia federal. Essa burocracia tem um custo imenso, e quem paga? Os contribuintes, claro! E qual é a classe social mais prejudicada pela carga tributária sufocante que temos no Brasil? Os mais pobres por causa dos impostos que incidem encima da cesta básica e dos combustíveis (que encarece o transporte do trabalhador e dos produtos que ele consome por causa do frete) que tirando o aluguel representam o grosso das suas despesas.
As pessoas não entendem o caráter verdadeiramente maligno do petismo. Resumindo fica assim: O governo age em defesa de interesses privados e partidários que retribuem o favor apoiando e financiando campanhas desse mesmo governo.

Mas o pior não é isso, o pior é que esse mesmo governo consegue convencer e enganar uma porção significativa da população de que tudo que ele faz é para defender o interesse dos pobres e da justiça social enquanto ele vai fazendo o contrário e a canalha enriquecendo...



 

quinta-feira, 21 de julho de 2011

A insustentável loucura do PT

Tenho um projeto, vou andar o Brasil, tenho um projeto, o projeto é meu...


Lula acreditava que era o Fidel Castro do Brasil. Após oito anos, lhe disseram, com aquele amor e carinho que se deve aos doentes mentais, que não poderia mais sentar naquela cadeira da presidência, que a constituição não o permite. Então, nosso Fidel de Hospício se transformou no Doutor Frankenstein e criou "a monstra" com um chip de comando à distância. Desse jeito ele poderia continuar a mandar no Brasil. Que emocionante!


Enquanto isso, muitos políticos se aproveitaram do menino maluquinho que detinha a chave do cofre e alimentaram sua loucura e conseguiram encher os bolsos de dinheiro público. Eles esperaram que o esquema continuasse com a eleição da criação do abestado.

Mas o que aconteceu? Será que a crise do Palocci deu um curto no chip da monstra? Ela começou a demitir os bajuladores do ministério dos transportes que alimentavam o delírio do nosso Che pirado.

A questão agora é de saber se basta trocar as pilhas do controle remoto que controla a monstra para que o barbudo beleza consiga recuperar o controle, ou se a criatura ficou fora de controle para sempre.

Minha sugestão é a seguinte: coloquem o barbudo beleza num freezer até 2014 e depois tentem reelegê-lo para que a mamata continue! Convenhamos, até lá ele não vai servir para grande coisa, não é? 

O PT não perde por esperar

Um dia, engoliremos o PT


O Brasil sempre foi um país surpreendente. Historicamente, enquanto os vizinhos hispano-falantes se precipitaram com suas guerras republicanas de independência da coroa espanhola com consequências políticas desastrosas como guerras civis, o Brasil optou por um processo de manutenção da monarquia por mais 60 anos. Foi inteligente, a monarquia brasileira representou independência de Portugal e continuidade da nossa unidade política nacional. Eventualmente veio a república. No Brasil tarda, mas não falha.

O mesmo pode ser dito sobre a indignação geral por causa da corrupção. Ela existe e tende a crescer. O povo até esquece um pouco, num momento de estabilidade econômica e ascensão social proporcionada pela política econômica tucana que perdura. Mas ela está lá, crescendo pouco a pouco, silenciosamente.

Um dia, haverá gota que fará transbordar o vaso, nesse momento o Brasil engolirá o PT, porque o país é muito maior do que o partido.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Quem ama, informa!

TRANSPARÊNCIA = CONFIANÇA

Por que tanto segredo em torno do câncer de Hugo Chávez? Ele admite sofrer de câncer, mas não especifica o tipo nem a gravidade da doença. Ele também não a comprova por intermédio de boletins médicos independentes. Enfim, existe uma obrigação legal que obrigue o presidente da república a divulgar o estado de sua saúde?

A verdade é que esse é um tema complexo que envolve muitos aspectos: desde questões de transmissão constitucional do poder a questões de privacidade de pacientes. Cada país tem o seu jeito de lidar com essa questão e quase sempre depende de detalhes dos casos individuais, tais como gravidade da doença e/ou a capacidade de exercer as funções do cargo. O mais frequente é que as próprias autoridades decidem de forma autônoma sobre a extensão da divulgação de seu estado de saúde.

Segundo artigo de Gabeira publicado no Estadão, “o direito de conhecer a saúde dos dirigentes é inexistente na Venezuela".

Legalmente, Hugo Chávez está no seu direito ao decidir guardar segredo em relação a sua doença. Se de fato se trata de uma lacuna no direito venezuelano, trata-se também de uma lacuna no direito de muitos países. Inclusive do Brasil.

Há, porém, segundo minhas extensivas pesquisas, no mundo inteiro, uma obrigação ética e moral que pesa sobre o presidente e até o candidato de informar o seu estado de saúde na medida em que a sua capacidade de governar afeta a todos os cidadãos da nação. A observância dessa obrigação ética e moral pode servir para medir a grau de apreço do político em relação à transparência em geral. Não que qualquer um deixaria de medir o impacto de sua doença na opinião pública ou sua provável utilização pela oposição. A diferença entre o sigiloso e o transparente é a confiança que cada um tem no jogo democrático e o respeito e consideração que cada um tem com os cidadãos.

No caso do manipulador, sua doença pode ser uma ferramenta a mais: ele vai divulgando aquilo que interessa no momento oportuno ou no momento inadiável segundo o caso. Sua doença, verdadeira ou falsa (só ele sabe a verdade), é utilizada para estabelecer um vínculo emocional com um eleitor considerado emotivo e irracional, pronto para ser induzido a sentir pena e compaixão em época eleitoral. Trata-se também de acuar a oposição que fica inibida de criticar um doente e que poderá ser tachada de desumana. Enfim, o manipulador transforma os sentimentos e temores das pessoas no seu campinho de jogo político, induzindo, iludindo, manobrando as pessoas como se fossem criancinhas dependentes e idiotas sem a mínima consideração com seu bem-estar real ou direito de conhecer a realidade de seu governo para se posicionarem de acordo.

O político transparente, por outro lado, considera o cidadão como sendo um adulto responsável, pensante e digno ter pleno conhecimento da realidade do governo que, afinal, lhes pertence. O governo, na democracia, pertence aos cidadãos, inclusive a presidência. Ele divulga o seu estado de saúde da mesma forma que ele divulga os números da economia, ou seja, como sendo uma informação relevante para o bom funcionamento do governo e da política. Para o democrata, o sistema político e o poder dos cidadãos são maiores do que a figura ou a pessoa do presidente e dessa maneira ele se insere como uma parte da maquina, uma parte importante, mas uma parte apenas, substituível pelo bem e o futuro da nação.

Dessa forma, o andamento do país segue tranquilo, quase indiferente aos solavancos e os dramas pessoais do presidente que apesar de sempre ser importante, nunca será determinante para a sobrevivência do Estado e seu funcionamento. O assassinato de Kennedy, por exemplo, institucionalmente, foi apenas um soluço quase imperceptível para os Estado Unidos, apesar de ter sido um drama humano nacional.

Na Venezuela, desgraçadamente para o povo daquele país, o presidente se posicionou acima de todos e de tudo, inclusive do funcionamento do governo. Ele logrou amarar o seu destino pessoal ao destino do governo e da administração. Esse câncer, se de fato existe (não há como saber com certeza), terá o poder de jogar todo o futuro político do país numa incerteza potencialmente mortífera para a sociedade civil. Hugo Chávez apostou todas as fichas da estabilidade política na sua própria sobrevivência física e política. Se a doença for verdadeira ela se tornou na sua última jogada desesperada, se ele sobreviver surgirá como um líder mais forte do que nunca (que conveniente, não?) e se ele vier a falecer deixará um vácuo perigoso no poder que poderá resultar numa guerra civil sangrenta. ESSE É O AMOR QUE HUGO RAFAEL  CHÁVEZ FRÍAS SENTE PELO SEU POVO.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Eleições 2012 na Venezuela: Henrique Capriles para presidente!

Governador de Miranda e um dos principais nomes da oposição para presidente em 2012


Leiam abaixo sobre Capriles e comento logo em seguida.


Do site em espanhol http://www.henriquecapriles.com/


Henrique Capriles nace en Caracas, el 11 de julio de 1972.
Forma parte de una familia de inmigrantes que llegó a Venezuela huyendo de la persecución Nazi contra los judíos, hecho que sin duda marca su espíritu como luchador por la libertad, y defensor de los derechos de los más desposeídos.


Guiado por este espíritu, cursa estudios de Derecho en la Universidad Católica Andrés Bello, donde obtiene su título de Abogado, para posteriormente lograr con gran éxito la especialización en Derecho económico. Hecho que marcaría el camino hacia su primera actividad profesional dentro del organismo recaudador venezolano SENIAT.


Sin embargo, su vocación de trabajador social le impulsa a dejar de lado las comodidades que le ofrecía una prometedora carrera como abogado y se decide a incursionar en la “Política”, en momentos en que el país vivía una de las épocas más convulsionadas de su historia.


Henrique Capriles se califica como un hombre de centro humanista que impulsa una forma de hacer política más allá de izquierda o derecha, de populismo o burocratismos, promoviendo valores cívicos de justicia, libertad, solidaridad, respeto por el otro, y participación como valor fundamental para e
Asimismo, reivindica el valor del "joven" como actor fundamental y generador del Capital Social necesario para la recomposición de nuestro país.



COMENTO:
Capriles é um jovem e promissor político venezuelano. Por isso ele está na mira da ditadura chavista há anos. Quando prefeito ele foi encarcerado pela primeira vez e depois inocentado e libertado, mas a mensagem tinha sido dada.

Entretanto, Capriles perseverou e acabou conseguindo se eleger governador de Miranda, um Estado grande e importante. Esse feito o projetou para a política nacional e hoje ele é um dos principais candidatos da oposição para a eleição para presidente na Venezuela em 2012. Agora o regime chavista está atrás dele novamente com acusações de corrupção naquilo que o próprio Capriles chama de "justiça politizada" com o objetivo de eliminá-lo politicamente.
A utilização da justiça para torpedear até possíveis adversários está se tornando corriqueira na nossa América Latina de fanatismo esquerdista. Na própria Venezuela está aprisionado hoje uma dos maiores ativistas antichavistas e democráticos daquele país, Alejandro Peña Esclusa, preso após uma farsa grotesca do governo usada para acusá-lo de terrorista. Mas não precisamos ir tão longe.
Aqui no Brasil, a justiça está sendo usada para impedir a o nascimento de um novo partido que poderia nos dar uma alternativa à polarização PT/PSDB, o PSD.

E o Lula não operou politicamente para impedir a candidatura de Ciro Gomes à presidência em 2010? Não foi por via judicial, mas o efeito foi o mesmo: MENOS OPÇÕES PARA NÓS! Comportamento completamente antidemocrático, essa é marca da política que nos assola.

Desacato do século: Lula vai fazer um "memorial da democracia"!

LULA PEDINDO CONSELHOS PARA SEU "MEMORIAL DA DEMOCRACIA"



Lula ataca a mídia. Lula defende os corruptos. Lula defende ditaduras. Lula promove o mensalão. Lula opera para que Ciro Gomes seja impedido de se candidatar à presidência da Republica em 2010. Lula manda no PT com mão de ferro. Lula joga os pobres contra os ricos. Lula comete crime eleitoral com a máquina estatal em 2010 para desequilibrar fraudulosamente as eleições presidenciais a favor de Dilma Rousseff. Lula diz que "há democracia até demais na Venezuela". Lula compara as manifestações contra a suspeita de fraude eleitoral no Iran e sua brutal repressão com morte e tortura de "briga de torcidas". Lula compara os presos políticos cubanos mantidos em calabouços e que faziam greve de fome a bandidos comuns como ladrões e estupradores. Lula enfraquece as instituições democráticas com aparelhamento.

LULA FOI O PRESIDENTE ELEITO MENOS DEMOCRÁTICO QUE O BRASIL TEVE DESDE GETÚLIO VARGAS.

E AGORA ELE VAI FAZER UM MEMORIAL DA DEMOCRACIA EM HOMENAGEM A SEU GOVERNO! E O iFHC AINDA COOPERA! ACORDA FHC! LULA É UM MONSTRO BRUTAL E IMPIEDOSO COM A DEMOCRACIA E COM SEUS INIMIGOS (ADVERSÁRIO É PARA DEMOCRATAS) POLÍTICOS!

E porque ele escolheu (mesmo que ainda talvez provisoriamente) “memorial da democracia"? Porque para ele, como eu demonstrei no início do post, democracia é um "significante vazio ao qual o partido revolucionário pode atribuir o sentido que bem lhe convenha". Leiam abaixo a explicação da razão dessa subversão lulista da palavra "democracia" no trecho que reproduzi do artigo de Olavo de Carvalho intitulado "A Onipotência da Tagarelice":

 No mesmo espírito, Ernesto Laclau, no livro "Hegemonia e Estratégia Socialista" - talvez a proposta política mais influente nos meios esquerdistas das três últimas décadas - ensina que o partido revolucionário não precisa representar nenhum interesse social objetivo e nenhuma classe existente: pode criar esse interesse e essa classe retroativamente, pela força do discurso e da propaganda. O PT, que surgiu como partido de estudantes e socialites, gabando-se por isso de ser a voz das pessoas mais inteligentes (o estudo feito em 2000 pelo cientista político André Singer), criou com dinheiro do governo a classe pobre que o apoia, e passou desde então a ser o partido dos desamparados e analfabetos, condenando os outros partidos como representantes da elite letrada. Na mesma lógica, a "democracia", segundo Laclau, é um "significante vazio", ao qual o partido revolucionário pode atribuir o sentido que bem lhe convenha. O PT designa com esse nome a aliança entre o governo e as massas alimentadas com dinheiro dos impostos, aliança montada em cima da destruição de todos os poderes intermediários, a começar pela mídia. Que essa aliança e essa destruição, historicamente, tenham sido a estratégia essencial de todos os regimes tirânicos do mundo (leiam Bertrand de Jouvenel, "Do Poder: História Natural do seu Crescimento"), é um detalhe irrisório: o "significante vazio" admite todos os conteúdos -- com a vantagem adicional de que o eleitorado, ao ouvir a palavra "democracia" nas bocas dos próceres petistas, imagina que se trata de democracia no sentido tradicional do termo, porque não leu Ernesto Laclau e não sabe que eles a usam como palavra-código de duas caras, com um significado esotérico para os iniciados e outro, exotérico, para enganar os trouxas.

Leia na íntegra aqui.

domingo, 17 de julho de 2011

Política estagnada




Hoje a política brasileira está nas mãos da esquerda. Ela vem construindo sua influência e hegemonia nos últimos 40 anos, tomando conta dos sindicatos, escolas, universidades e redações de jornal. Só que a esquerda está chegando a um impasse: depois da conquista da estabilidade econômica e a rejeição generalizada e consistente de aventuras revolucionárias, a política ficou estagnada.

Detentor dos aparelhos de manifestação política, as instituições supramencionadas, a esquerda se pergunta: e agora? Revolução não serve para um partido que ainda depende de eleições, na economia o país cresce de maneira modesta e sem perspectiva de longo prazo. As críticas das deficiências na educação e na saúde são abafadas em nome da boa reputação do governo do grande líder da tribo esquerdista Lula.

Resultado: a política está completamente estagnada e a economia não empolga. A segurança pública tende a piorar, assim como as mortes no transito. Os políticos estão acomodados, gordos e preferem manter o statu quo. Até o nascimento de um novo partido que possa empolgar, o PSD, está sendo dificultado por via legal e na imprensa.

Nunca estivemos tão reféns de nossos políticos. 

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Derrota do Foro de São Paulo, vitória da alternância de poder no Paraguai

Bye-Bye Lugo 2013


O senado do Paraguai rejeitou por unanimidade uma proposta de modificação da constituição daquele país que permitiria a reeleição do presidente da república que beneficiaria diretamente o presidente Fernando Lugo. Lugo foi eleito presidente em agosto de 2008 e foi saudado pelos presidentes da extrema esquerda latina americana que vêm se instalando pouco a pouco no continente, entre eles Evo Morales da Bolívia, Hugo Chávez da Venezuela e o ex-presidente Lula, todos ligados ao Foro de São Paulo.

O Foro foi constituído em 1990 quando, juntamente com Fidel Castro, o Partido dos Trabalhadores (PT), convidou outros partidos e movimentos sociais e revolucionários da America Latina e do Caribe para elaborar estratégias comuns visando o fim da democracia, a tomada do poder e a instauração de ditaduras comunistas.
Como a luta armada só vingou em Cuba, eles mudaram de método, tomando o poder pela via democrática para em seguida se eternizarem no poder, alterando as constituições de seus respectivos países com essa finalidade.

Como identificar partidos do FSP e seus aliados :

Uma vez no poder, eles fazem de tudo para acabar com a alternância de poder, mudando a constituição (caso da Bolívia, Venezuela, Equador) ou usando o prestigio da presidência e todos os meios que a  máquina pública oferece, inclusive ilegalmente (caso do Brasil e da Argentina).

Eles fazem de tudo para desmantelar as instituições democráticas tais como a liberdade de imprensa (Chaves, Lula, Kirchner e outros), a independência do legislativo (o mensalão, por exemplo), e do Judiciário (Chaves mantém presos políticos na Venezuela com o aval do judiciário); e como ficou claro em 2010 no Brasil, a desmoralização do processo eleitoral.

De todo os países onde foristas ou seus aliados chegaram ao poder, ou seja: Brasil, Venezuela, Equador, Argentina, Nicarágua, El Salvador, Uruguai, Paraguai, Chile e agora o Peru com Humala, houve alternância de poder SOMENTE NO CHILE (no Brasil houve alternância PT- PT). Um em nove países! (Humala acabou de ser eleito, portanto ainda não houve chance para a alternância).

Pelo jeito haverá alternância no Paraguai, vitória da democracia, derrota do Foro de São Paulo. 

Medicina capitalista para Hugo Chávez, medicina socialista é para os otários...

MAS O HUGO CHÁVEZ VAI SE TRATAR AONDE ENTÃO, IMBECILIDADE MARXISTA?

O comunista bolivariano Hugo Chávez vai tratar seu câncer no mais capitalista dos hospitais das Américas onde a diária de um quarto simples custa 750 reais. O custo da unidade de terapia intensiva é de 2.133 reais, em média. Uma internação que inclua dez dias de UTI e mais uma semana no quarto não sai por menos de 27.000 reais. Não estão incluídas as despesas com os médicos*.

Nunca na história da humanidade a hipocrisia esquerdista foi exposta de maneira tão escancarada como neste episódio do tratamento do ditador Hugo Chávez. Aonde foi parar a maravilhosa medicina socialista cubana? Ah, é verdade! QUASE O MATOU! (tenho de admitir que, depois disso, quase fiquei até fã da medicina cubana, pena que ela não foi completamente eficiente...).

Entretanto, já que o falastrão vem ao Brasil para se tratar, porque ele não vai para um dos hospitais do SUS? Qual é o problema Chávez, tens medo de enfrentar uma filinha de alguns meses e de uma infecçãozinha hospitalar? Ah, é, isso para o povo idiota, não é, assassino? Não é Dilma? Lula? Lugo? Êta grandes personagens do povo! Na hora do pega-pra-capar é direto para hospital de bacana, de preiboy...

VEM HUGINHO, VEM LAMBER AS BOTAS DOS MÉDICOS PRIVADOS! SÓ NÃO SE ESQUEÇA DE AGRADECER AO CAPITALISMO NA SAÍDA!

*Fonte: revista veja, leia aqui na íntegra

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Colocando ordem e honestidade no debate político. Ou: O fim do PT

...DIFAMAÇÃO E INJÚRIA, TODAS PROIBIDAS PELO CÓDIGO PENAL, ARMAS CONTRA A CANALHA MENTIROSA!

A ditadura militar de 1964 teve o seu contexto histórico. Guerra fria, ameaça Soviética etc. Muitos, e é um argumento válido, argumentam que ela foi um mal necessário para evitar que no Brasil existisse aquilo que existe até hoje em Cuba: uma ditadura comunista e totalitária. Eu acredito que essa possibilidade existiu realmente, antigamente achava que não, parecia-me exagerado.

O que me fez mudar de ideia? O governo do PT e suas tentativas constantes de destruir nosso sistema democrático e de liberdade, e sua extrema admiração, amizade e simpatia explícitas em relação à própria ditadura cubana e à protoditadura venezuelana de Hugo Chávez.

Entretanto, eu sempre fui da opinião de que a nossa ditadura perdurou. Se tivemos uma ditadura para evitar uma pior, sua longevidade não foi muito convincente nesse sentido. Foram realmente necessários os 21 anos do regime para afastar o perigo comunista e restaurar a democracia? Não teria sido melhor o regime ter permitido um movimento democrático legítimo, controlado e desprovido de segundas intenções marxistas?

Por que levanto essa questão neste momento? A reposta é que o espirito da ditadura semeou a descrença na utilidade e na imparcialidade do sistema jurídico que necessita de uma serie de garantias constitucionais para funcionar de maneira convincente. Tivemos anos de apatia jurídica cujo resultado é uma nação do vale-tudo e da impunidade e do franco desconhecimento da cultura jurídica pelos cidadãos.

Se de fato existe um  delito previsto no art. 139 do Código Penal, qual seja “Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa”, por que foi permitido a tanta gente mal intencionada e durante tanto tempo difamar os Tucanos, inventando fatos de corrupção e acusações absurdas de quebrar o INSS, de comprar votos para a emenda da reeleição, de acabar com isso e acabar com aquilo? PORQUE, NO BRASIL, NÃO TEMOS O HABITO DE PROCURAR A PROTEÇÃO DA LEI! É óbvio que o AI-5 teve uma grande influencia nesse sentido.

FINALMENTE ALGUÉM TEVE A INTELIGÊNCIA DE COMBATER A INFÂMIA DOS COMUNAS SAFADOS E MENTIROSO NUM TRIBUNAL, DEFENDENDO DE MANEIRA LEGÍTIMA SUA REPUTAÇÃO! A canalha comunista destruidora de reputações, incluindo o governador petralha Tarso Genro, ficou com o pelo do rabo arrepiado com a condenação de pelo menos um difamador num mar de difamadores. Leia a seguir sobre a condenação do vereador do Psol Pedro Ruas num processo movido pelo professor Carlos Crusius, marido da ex-governadora do Rio Grande do Sul Yeda Crusius. QUE SIRVA DE EXEMPLO DE QUE NEM NA POLÍTICA SE PODE INVENTAR HISTÓRIAS QUE ATENTAM CONTRA A HONRA DE UM CIDADÃO. QUE MUITOS PROCESSOS ACONTEÇAM DEPOIS DESSE!   

 

Entrevista: José Henrique Salim Schmidt – advogado de Carlos Crusius no processo contra Pedro Ruas


Na segunda-feira (04) o vereador de Porto Alegre, Pedro Ruas sofreu uma significativa derrota no processo movido pelo professor Carlos Crusius, sendo condenado a três meses de detenção, pena esta substituída por dez dias-multa, e multa cumulativa de dez dias-multa, à razão de um quinto do salário mínimo, pela prática do delito previsto no art. 139 do Código Penal, qual seja “Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação: Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa”.
Diante desse fato de grande repercussão, entrevistei o advogado José Henrique Salim Schmidt, um dos representantes de Carlos Crusius e que realizou, com sucesso, a sustenção oral buscando a reforma do julgado.

Veredictum (Max Borges) – O que o professor Carlos Crusius buscava com essa ação?

José Henrique Salim Schmidt – A condenação do vereador Pedro Ruas pelas suas declarações proferidas no programa Conversas Cruzadas da TVCOM.

Veredictum – Em sua sustentação, quais foram os principais pontos abordados objetivando a reforma do julgado?

José Henrique Salim Schmidt – O ponto principal é o conceito da imunidade parlamentar, sua finalidade, seus limites formais e materiais.

Veredictum – Qual foi o entendimento da Turma que modificou o julgamento do primeiro grau?

José Henrique Salim Schmidt – De que as afirmações do vereador Pedro Ruas não estavam abrangidas pela imunidade parlamentar em razão de tais afirmações não guardarem nexo com sua função pública. Houve exame de mérito acerca das declarações e de que estas não se relacionavam com a atividade parlamentar municipal.

Veredictum – Qual foi efetivamente a condenação do Vereador Pedro Ruas. Ele ainda pode reverter essa decisão?

José Henrique Salim Schmidt – Sobre a condenação vide acórdão. Existe a possibilidade de interposição de recurso extraordinário ao STF, porém entendo que juridicamente não houve ofensa direta a Constituição Federal a ensejar tal medida.

Veredictum- Diante desse julgamento favorável, para o professor Carlos Crusius o caso se encerra por aqui?José Henrique Salim Schmidt – Não tenho como responder.

A seguir uma breve retrospectiva sobre o caso:


Durante boa parte do governo Yeda, o advogado e vereador do PSOL Pedro Ruas proferiu graves acusações sobre a conduta de Carlos Augusto Crusius, durante a campanha de 2006 para o Governo do Estado do RS. As acusações tiveram seu ápice em 11/05/2009, no programa Conversas Cruzadas, transmitido pelo canal TVCOM. Nesse programa o vereador foi taxativo, ao vincular o nome de Carlos Crusius a dinheiro recebido para campanha de Yeda Crusius, que teria tido outro destino.
Sentindo-se ofendido em sua honra, Carlos Crusius ofertou queixa-crime contra o vereador Pedro Ruas.
Ainda que o magistrado de primeiro grau tenha entendido que restaram comprovadas a existência e a autoria do fato delituoso, acabou por afastar a tipicidade da conduta em razão da imunidade material vereador.
Isso porque entendeu se tratar de debate político envolvendo “imputações de ‘caixa dois’ na campanha eleitoral e corrupção no Governo do Estado”, sendo, portanto debate de matéria de interesse dos eleitores da capital na qual o vereador atua, acolhendo assim a tese da imunidade parlamentar.
Diante da decisão do 3º Juizado Especial Criminal, Crusius recorreu.
Ao julgar o recurso, a presidente e relatora da Turma Recursal Criminal, Cristina Pereira Gonzales considerou que a inviolabilidade material parlamentar não se aplica ao caso. Entendeu inexistir nexo de causalidade entre o exercício da atividade parlamentar de vereador e as afirmações realizadas no programa de televisão, visto que a discussão não estava circunscrita somente aos domínios da cidade de Porto Alegre e a atividade legislativa do vereador.
O voto da relatora foi seguido pelos demais membros da turma, Drs. Luiz Antônio Alves Capra e Edson Jorge Cechet.
Carlos Augusto Crusius foi representado por José Henrique Salim Schmidt, Daniel Gerber, Marcelo Mayora Alves e Juliana Kuhn Leopardo, do Escritório Gerber & Salim Schmidt Advogados (www.garantismopenal.com.br), e também por Cezar Roberto Bitencourt.
Processo nº: 71003108065

terça-feira, 12 de julho de 2011

Eliande Cantanhêde: A columnista* engajada e o fingimento da Dilma

Mais um post da serie os columnistas*. A columnista* da vez é a Eliane Cantanhêde, ela que sempre tem palavras tão gentis quando se trata do lulopetismo. Na sua coluna da Folha.com (antro de columnistas*), nossa valorosa comentarista da política tenta provar, como um mais um é igual a três, que ao invés da Dilma ter virado refém do PR no episódio da corrupção no ministério dos transportes, ela na verdade "deu um nó" no partido. Chega a ser até comovente observar seu contorcionismo interpretativo cujo objetivo é provar sua premissa.

Não podemos perder de vista, apesar dos esforços da Eliane, que a origem do problema da corrupção é o loteamento de cargos para partidos em troca de apoio no Congresso Nacional, e essa situação continua, mesmo com troca-troca de ministros.

Se o PR sentir que a perdeu de fato "seu" ministério, ele vai se rebelar no congresso. Se ele não se rebelar, é porque continua no comando da pasta.

O trabalho dos columnistas* vem em seguida: FAZER PARECER QUE NÃO. Fazer parecer que algo mudou, quando, na realidade, a estrutura do problema continua intocada. Perceba a imagem positiva da Dilma que fica após a leitura do artigo. Como se ela tivesse feito algo de bom, como se toda a roubalheira que aconteceu até agora não tenha sido de sua inteira responsabilidade. Entretanto,no nosso sistema presidencialista, o presidente RESPONDE POR SEUS MINISTROS (Collor caiu exatamente essa razão) .  

Dessa forma somos traídos pelo jornal e pelo jornalista, somos enganados, manipulados, esculachados, e a gente aínda paga por isso... 

Faço um vermelho-azul no estilo Reinaldo Azevedo com a Eliane Cantanhêde, da "Folha de São Paulo, para demonstrar sua tendência columnista*. 

12/07/2011 - 10h26
Dilma deu um nó no PR
A presidente Dilma Rousseff decidiu enfrentar os escândalos dos Transportes, primeiro, e a ousadia do aliado PR, depois, e venceu duplamente.
Vitória, Eliane, teria sido nomear a pessoa certa, competente e honesta desde o início. Você está confundindo vitória com mitigação que significa o ato de mitigar ou suavizar, abrandar o erro, ou seja, transformastes em vitória (dupla!) a mitigação da derrota (não ter nomeado a pessoa certa).


Ela botou para correr a cúpula do ministério, aí incluídos o ministro Alfredo Nascimento e quatro assessores, ao constatar que, ao sair da Casa Civil para disputar a eleição, deixara um orçamento "x" para as obras do PAC no setor e, ao voltar, já como presidente, encontrara "x" milagrosamente multiplicado por "y".
Ah, então foi herança maldita do Lula? Ou quem era o presidente quando a Dilma saiu da Casa Civil?

Ao fazer isso --botar a turma para correr-- Dilma estava já decidida a enfrentar o contra-ataque. E enfrentou, ao nomear o ex-secretário executivo do ministério, Paulo Sérgio Passos, para a vaga de Nascimento, à revelia do PR. Apesar de filiado ao PR há alguns anos, Passos é um técnico de carreira. E é persona non grata do partido. 
Ah! Quase que a Eliane foi fiel aos fatos, estava indo tão bem, até o final quando afirma que Passos é persona non grata do partido. Foi quase, quase, mas não há nada que indique que Passos tenha essa posição no PR, já havendo, inclusive, substituído o próprio Nascimento quando, entre abril de 2006 e março de 2007 e, posteriormente, entre abril e dezembro de 2010, ele esteve à frente da pasta enquanto Nascimento se afastou para disputar eleições ao Senado Federal e ao governo do Amazonas, respectivamente. É muita confiança para uma persona non grata, não é Eliane? Mas continue tentando que você chega lá! 


Dilma, porém, cumpriu todo um ritual para não bater de frente de vez com o PR, um dos partidos aliados mais leais no Congresso. E fez tudo direitinho.
 O primeiro passo foi fingir que iria manter o partido no comando da pasta, ao convidar o senador Blairo Maggi (PR) para ser ministro, mas já preparada para fazer o que realmente queria: efetivar Passos.
Blairo aceitou o jogo. Conversou com a presidente, alegou que é empresário da área de navegação e que, portanto, teria impedimentos éticos e morais para assumir a pasta. Mas seguiu em frente no teatro, reunindo-se com os sócios e conversando com os correligionários até o não definitivo na segunda-feira.
Nada como um dia depois do outro, não é Eliane? Quer dizer que Dilma JÁ SABIA QUE BLAIRO MAGGI IA REFUSAR O CARGO? O CONVITE ERA "FINGIMENTO", DILMA É FINGIDA? Estava tudo combinadinho segundo o plano da genial presidenta? Foi tudo um "teatro"? Quanta ingenuidade desses políticos inocentes e inexperientes do PR, não é? CAIRAM DIREITINHO NO GOLPE DA DILMA! Nesse ponto, caro leitores, chegamos a o que faz de um columnista* um columnista*:  A DISTROÇÃO DOS FATOS. Eu duvido que a Dilma soubesse, de antemão, da recusa do Maggi, com afirma Eliane. Ela pode até ter apostado nisso, mas a verdade é que ELA ESTAVA PRONTA A NOMEAR MAGGI MINISTRO DOS TRANSPORTES CASO ELE TIVESSE ACEITADO, OU SEJA, ELA CONTINUA REFÉM DO PR! 


Com Blairo Maggi fora, Dilma estava livre, leve e solta para fazer o que bem entendesse, por uma questão muito simples: o PR não tinha nenhum outro nome para os Transportes, como a cúpula admitiu para a Folha no domingo e saiu publicado na segunda-feira. Quem? Ninguém. Portanto, teria de engolir a decisão da presidente, como está engolindo.
Pobre PR, teve que engolir um nome do... PR! Que afronta! Não é Eliane? E Dilma, como foi corajosa deixando o ministério nas mãos de um homem de confiança do Nascimento! ELIANE FAZ DE TUDO PARA NOS FAZER ESQUECER QUE PASSOS É DO PR! Ele apenas não seria a primeira escolha do partido, mas continua sendo do partido.

Deu tudo certo. Agora, só falta ver como Luiz Antonio Pagot se sai hoje, terça, 12 de julho, no depoimento ao Senado. Ele é ex-diretor do Dnit (o órgão dos Transportes que cuidava da infraestrutura), foi demitido no tsunami Dilma e andou ameaçando virar um homem-bomba, ou um novo Roberto Jefferson, o que denunciou o mensalão.
É, deu tudo certo PARA O PR QUE CONTINUA A MANDAR NO MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES!


Aparentemente, a bomba vai virar um traque, depois que Pagot foi amansado pelo padrinho Blairo Maggi e por outros enviados do Planalto.
Pagot vai se defender, explicando como funcionam as decisões --quem participa, o cronograma, os aditamentos, as liberações, a fiscalização do TCU e da CGU. Mas provavelmente não vai mais atacar --dizendo, como ameaçava, que quem estava por trás de tudo era o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, casado com a chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e hoje ministro das Comunicações.
Aqui o columnismo* da Eliane é gritante: basicamente ela considera uma vitória do governo sua capacidade de esconder suas falcatruas e proteger os corruptos. De certa maneira ela tem razão, é uma vitória de um governo corrupto e imoral, mas isso não parece ter a mínima importância para nossa columnista*, a grande notícia é que a Dilma teria "dado um nó" no PR.

A dúvida é como o PR e o próprio Pagot vão se comportar diante do novo ministro Passos, já que ele é acusado de trair o partido, de ser ministro na época do superfaturamento (2010) e ser informante de Dilma sobre as coisinhas estranhas que aconteciam nos Transportes na gestão de Nascimento, aquele cujo filhote enriqueceu do dia para a noite fazendo negócios com uma empresa contratada pelos Transportes, dirigido pelo papai.
O que? Houve superfaturament em 2010? Mas e aquela história de que Dilma tinha deixado orçamento X e voltou com ele multiplicado por Y? O título desse artigo deveria ter sido: O PR deu um nó na Dilma. TODAS ESSAS FALCATRUAS, ELIANE, SÃO DA INTEIRA RESPONSABILIDADE DO PRESIDENTE! COLUMNISTA*! NÃO TENTE DIFERENCIAR A RESPONSABILIDADE E A CULPA DO NASCIMENTO DA RESPONSABILIDADE E A CULPA DA DILMA!

Para que servem esses jornalistas? Puxar O saco de presidente e abandonar a função social de fiscalização do poder pela mídia! VAI SER PORTA VOZ DA PRESIDÊNCIA ENTÃO!

Na verdade, Dilma deu um nó no PR: sem um nome para o ministério e sem ter para onde correr (para a oposição? Ha ha ha), o partido vai chiar daqui, fazer uma ameaçazinha dali, mas daqui a uma semana ninguém mais lembra disso. E vai em frente, colhendo as migalhas do poder.
MIGALHAS DO PODER É O ROUBO DE MILHÕES E MILHÕES DO NOSSO DINHEIRO SUADO, SUA INÚTIL!

PELO AMOR DE DEUS FOLHA! COLOQUE ESSES INÚTEIS NO OLHO DA RUA, NÓS MANTEMOS ESSE JORNAL E VOCÊS CONTRATAM EMBROMADORES!

*Columnista: Neologismo criado pelo "GIPPER" para designar jornalistas cuja função é impor a visão ideológica da esquerda, especialmente uma visão pró-Lula/Dilma e pró-PT. Essa imposição partidário-ideológica se manifesta de várias maneiras, na escolha cuidadosa de palavras que contêm nas suas definições ideias e conceitos subordinados à ideologia, na avaliação mais generosa possível quando se trata de políticos ou fatos ligados à adiministração petista e seus aliados e o tratamento oposto a políticos e fatos ligados à oposição ou a forças que o marxismo condena, como o capitalismo, o mercado e os Estados Unidos. E não se trata somente de adaptar opiniões, não senhor, trata-se de DISTORCER FATOS MESMO, INVENTANDO-OS OU APAGANDO-OS SEGUNDO CONVÉM. Trata-se de engenharia social, ou manipulação mesmo.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

O tempo passa, o tempo voa e Lula vai ficando numa boa!

Quem está por trás do Lula?


Por cima do Lula, há o Fidel e os Bolivarianos com o Foro de São Paulo, por cima do Foro de São Paulo há não sei que tara marxista mundial, casando o grande capital, a concentração de veículos de comunicação e políticos autoritários. Não há dúvida que o mundo escorrega lentamente de volta àquela época em que os poderosos faziam o que bem entendiam e o resto dizia "Amém". Lula está confortavelmente posicionado pelos poderosos do mundo (e como eles ganham com o governo petista!) para voltar em 2014. Travestido de rei dos pobres, o molusco permite aos banqueiros e industriais, nacionais e internacionais (fronteira não existe mais para o capital), lucrar vinte vezes ou mais por ano que todos os cinquenta milhões de beneficiários do programa Bolsa Família.

Lula enriquece e ri da cara dos pobres, dos trabalhadores e dos democratas que buscam a alternância como expressão de soberania popular. A farsa do governo Dilma não durou nem seis meses e enquanto o país mergulha no caos, Lula se prepara para o seu grande retorno no estilo salvador da pátria. Mas ele não tem apenas a vantagem do grande capital, do cabresto dos miseráveis, não, ele tem mais do que isso, ele tem a do seu lado a própria tradição política e mentalidade de grande parte dos brasileiros. Como publiquei no poste anterior, há muitos entre nós que ainda são Varguistas e que, por fraqueza e cinismo, esperam, saudosos, o retorno do novo caudilho brasileiro, e eu incluiria aí até os que têm saudades do velho regime militar, pois toda ditadura é militar por natureza. O próprio molusco nunca escondeu sua admiração pelo governo dos generais, sabe, aqueles que torturaram a Dilma...

Entretanto, o maior aliado do Lula continua sendo a falta de visão da oposição que recusa a entender o que está em jogo. Não se trata mais de ganhar eleições, Serra, Aécio! Trata-se da sobrevivência mesmo da nossa democracia. Querem provas? Lêem minhas postagens, meu blog está cheio de provas! Pesquisem sobre quem está por trás do Lula e os interesses que o mantêm. O PT? O PT é uma piada de mau gosto, um bando de capivaras que fosse o Lula depender só deles já teria afundado há tempos! O PT só serve para agregar os votos da imbecilidade marxista que admito, não é pouca.

Se Minas tivesse votado Serra, o PSDB teria ganhado em 2010. Se Aécio tivesse concorrido como vice de Serra, Minas teria votado Serra. Teria sido um gesto de grandeza e visão do Aécio e eles são do mesmo partido! E agora, a batalha não vai mais ser contra um poste não, vai ser contra o molusco e seus banqueiros, a maquina federal (de novo) e a tara marxista bolivariana e seus petrodólares! A parada vai ser dura.

domingo, 10 de julho de 2011

Devemos fazer uma oposição petista ao PT?

ELE ERA PRESIDENTE DO BRASIL OU DO PT? E A GENTE AINDA PAGA POR ISSO...


Nas verdadeiras democracias, cabe à oposição desempenhar duas funções: fiscalizar a situação e pressionar a situação a fazer as devidas correções de rumo, pelo bem do país. Nas democracias disfuncionais, a oposição torce pelo fracasso da situação para tirar proveito político. E no Brasil? Na nossa jovem democracia, não tivemos muitas situações onde um governo legitimamente e livremente eleito teve de conviver com uma oposição acostumada a ser oposição de regime democrático. Não podemos nos esquecer de que todos os partidos que existem hoje no congresso nacional nasceram e atuaram em oposição a um regime autoritário, de exceção, num ambiente político de luta armada e vale-tudo político e infelizmente esse espirito político sobreviveu à transição democrática e hoje contamina, de forma nefasta, nossa democracia.

Isso significa o quê? Significa que o ex-presidente Fernando Collor de Mello contou com pouca ajuda para governar. Não teve base aliada alguma e a oposição certamente não moveria uma palha para ajudá-lo, nem pelo bem do país. Deu no que deu. Após sua queda, a esquerda finalmente chega ao poder graças ao ex-presidente Itamar Franco que deu uma chance ao professor marxista Fernando Henrique Cardoso implantar seu bem sucedido plano econômico, tão bem sucedido que lhe garantiu a reeleição em 1998. Mas quem faria oposição a um esquerdista bem sucedido? FHC fez um governo de conciliação com liberais, conservadores e esquerdistas.

Sobrou para o PT e o Lula. Pode-se dizer que eles foram a primeira oposição em tempos de normalidade e estabilidade política e econômica que tivemos desde a redemocratização. E que tipo de oposição fizeram eles? A da pior espécie: combateram o plano real, combateram a lei de responsabilidade fiscal e combateram as privatizações. Ou seja, COMBATERAM TUDO AQUILO QUE NOS TROUXE ESTABILDADE ECONOMICA E ALÍVIO À POBREZA. COMBATERAM ATÁ O BOLSA ESCOLA (EMBRIÃO DO BOLSA FAMÍLIA) QUE O LULA CHAMOU DE BOLSA ESMOLA!

E agora que o governo da Dilma está afundando num verdadeiro mar de corrupção? Qual deveria ser a atitude da oposição? Fazer uma oposição petista do quanto pior melhor? Ou fazer uma oposição leal, com os interesses maiores do bem estar do país? Nos melhores dos mundos a resposta seria obviamente a segundo opção, sem dúvida. Mas como proceder num ambiente político contaminado pela política brutal do vale-tudo até a morte petista? É possível apenas um dos adversários participar do jogo no qual o outro lado não se inibe em trapacear? Como fizeram na eleição da própria Dilma, engajando fraudulosamente todo o peso da maquina federal atrás dela, por baixo das barbas do TSE QUE FALHOU MISERAVELMENTE NA SUA MISÃO DE GARANTIR ELEIÇÕES JUSTAS,  desequilibrando o pleito de forma criminosa?

Esperar uma compreensão democrática dos vermes petistas e seus sequazes fanáticos? Difícil. Eles não são democratas, são foristas do Foro de São Paulo, e se dependesse deles o Lula JÁ SERIA O HUGO CHÁVES DO BRASIL.

Só nos resta uma alternativa: enterrar politicamente e para sempre o petismo, com Lula e Dilma juntos. Resta, a saber, se nossa oposição entendeu isso finalmente.

sábado, 9 de julho de 2011

A verdadeira revolução e os verdadeiros reacionários

Soldados constitucionalistas contra Getúlio, os verdadeiros revolucionários!


Inúmeras pessoas se indagaram um dia: porque os Estados Unidos e a Europa ocidental puderam oferecer aos seus cidadãos, na média, o maior padrão de vida na história da humanidade? E porque eles foram a ponta de lança dos maiores avanços científicos da era moderna? A resposta é ao mesmo tempo simples e extremamente complexa: Esses países adotaram, após a segunda guerra mundial, o regime de economia de mercado mais ou menos livre e o sistema político da democracia e do Estado de Direito.

Países como a Alemanha, a França, a Grã-Bretanha, a Suíça, a Bélgica, os países escandinavos e a Itália seguiram o exemplo dos Estados Unidos que, seguindo a tradição Inglesa, foram pioneiros em garantir menos interferência governamental na vida dos cidadãos, garantindo assim a liberdade e o incentivo necessários para que o povo tomasse conta de si mesmo e garantisse sua prosperidade e sua sobrevivência. Então houve uma explosão de criatividade e incentivo. 

É simples porque a receita é simples: todos os cidadãos concordam que uma serie de leis determinarão os limites do comportamento das pessoas e das autoridades e que não se tolerará, sob pretexto algum, ou ideologia alguma, que esses limites possam ser extrapolados por qualquer pessoa que seja.

É complexo porque a força do hábito da submissão a reis, príncipes, imperadores e seus herdeiros, os ditadores de repúblicas, subsiste na mente das pessoas há séculos e é incentivada pelos poderosos reacionários, que não querem perder importância e poder.

E é por isso que verdadeira revolução não é a submissão a um "El comandante" ou "grande timoneiro"  qualquer, mas a liberdade do conjunto dos cidadãos, que cada cidadão seja seu próprio soberano, nos limites das leis e da soberania de seus concidadãos.

No Brasil, a busca por um novo Getúlio, ditador, é obra dos reacionários contra a liberdade, eles não acreditam na força do individuo, eles não acreditam neles mesmos e por isso querem delegar sua responsabilidade a um ente redentor. São essas pessoas que nós, os verdadeiros revolucionários da história, os democratas, temos que combater.

O grande campo e batalha hoje se chama STF no processo do Mensalão. Os reacionários apostam  na impunidade das autoridades, atitude típica das ditaduras, o que significaria o fim do império das leis e a continuação do império da vontade do tirano.