Um blog destinado à luta contra a instauração de uma nova ditadura no Brasil







quinta-feira, 31 de março de 2011

Piada homofóbica proferida pelo Lula



Quanta hipocrisia! Enquanto a patrulha liberticida do politicamente correto promove uma caça às bruxas contra o deputado Bolsonaro, que teve a ousadia de expor sua opinião em público, o ex-presidente Mula, por sua vez, goza de imunidade total para dizer aquilo que lhe der na telha. ATÉ FAZER PIADA HOMOFÓBICA, CHAMANDO-OS DE VEADOS! Isso não é utilizar uma linguagem degradante, homofóbica? Por que a mídia não publica nada sobre o presidente do partido dos trambiqueiros? O Lula tem licença para ser homófobo? Onde está a justiça social, ou ela não se aplica aos socialistas?

É O FIM DA PICADA!

Querem saber? Se ele pode, então o Bolsonaro pode também! BOLSONARO PARA PRESIDENTE!

quarta-feira, 30 de março de 2011

Honestidade e socialismo : Antônimos



Eu, neste blog, luto pela democracia, e hoje, lutar pela democracia significa lutar contra o lulo-petismo. Eu defendo o mesmo sistema político que, apesar de permitir a chegada ao poder de figuras como Adolf Hitler, Hugo Chávez e Luís Inácio Lula da Silva e seu poste, nos permite aprender com nossos erros e dar um chute na bunda dos déspotas. Mas, para isso, é preciso que ela seja mantida, apesar dos déspotas. 

Essas figuras têm em comum, e se diferem de mim, pelo fato de que NUNCA defenderiam um sistema político onde SEUS rivais pudessem chegar ao poder. E eles nunca teriam a honestidade de admitir isso em público, é claro. Isso, porque o socialismo, que seja o nacional socialismo de Hitler, ou o socialismo populista de Lula, ou o socialismo do século 21, bolivariano, de Hugo Chávez, NÃO FUNCIONA. Esse fato, a história já se encarregou de demonstrar.

E aí veio o Gabeira. Numa entrevista à Folha/UOL, ele declara, em alto e bom tom, aquilo que está registradíssimo em documentos históricos, mas inexistente no conhecimento histórico do nosso povo. Os documentos ao qual aludo são referentes aos grupos armados que "lutaram contra a ditadura". Ele próprio, o Gabeira,  foi do MR-8 e foi baleado, a Dilma foi do COLINA e foi presa. Esses grupos tinham ESTATUTOS E MANIFESTOS nos quais expunham explicitamente o objetivo final deles: A INSTAURAÇÃO DA DITADURA DO PROLETARIADO. Ou seja, eles não lutavam contra "a" ditadura; eles lutavam contra "uma certa ditadura", a militar, que foi vitoriosa.

Esse blog não defende ditadura alguma. Se a história nos impôs uma ditadura, de uma coisa eu sei, a que se saiu vitoriosa na época se transformou numa democracia, eventualmente; e como teria sido se a deles tivesse vingado? Basta olhar para Cuba para termos nossa resposta. E eles adoram Cuba, até hoje. E não há Facebook, Twitter ou Al Jazeera que dê jeito naquilo.

Hoje, por ser intelectualmente honesto, o Gabeira é considerado um traidor pelo lulo-petismo.
(INCLUSIVE A DO PROLETÁRIADO!)

terça-feira, 29 de março de 2011

O choro dos abutres

NÃO ZÉ, NÃO DEU PARA DEIXAR OS FOTÓGRAFOS FORA DO QUARTO, PRECISAMOS DA FOTO.

Eles não perdem uma oportunidade. Em plena campanha eleitoral, lá estavam eles, ao lado do doente José Alencar, TIRANDO FOTOS. Agora o ex-vice-presidente faleceu, e lá estão eles de novo, chorando e TIRANDO FOTOS. Mas é lógico que tirar fotos com apelo sentimental faz um bem enorme à popularidade de um político, ninguém nega isso.

Mas não quer dizer que sejam obrigados a fazê-lo, e não deveriam, pois, afinal de contas, estão tirando proveito da doença e agora da morte de alguém que chamam de amigo.

Que tal um pouco de dignidade? Uma visita ao hospital não teria sido muito mais legitimo para o José Alencar se tivesse sido íntima? Só entre um doente e seus verdadeiros amigos? Não, tinha que ter foto para beneficiar a imagem desses abutres. Eles não são capazes de chorar lágrimas verdadeiras ao invés de lágrimas de marquetagem? 

Sugaram o José Alencar para chegar ao poder, depois o ignoraram durante anos, depois o sugaram para eleger a poste, e agora dão uma última mordida para alavancar a imagem de "ser humano" dela.

Que tal uma lágrima para as milhares de vítimas do descaso com a saúde e a segurança publicas, resultado da corrupção e incompetência desses trambiqueiros?



A ÚLTIMA MORDIDA DOS ABUTRES, DESCANSE EM PAZ, ZÉ ALENCAR.


Luis Inácio Lula da Silva, o pior presidente que o Brasil já teve


Símbolo maior da era Lula: a dança da pizza, em breve o Dirceu vai se juntar a ela no tango do fracasso da transformação do Brasil


O título desta postagem pode parecer um tanto exagerado, afinal de contas o Lula entregou o país intacto, sem grandes convulsões sociais ou crises econômicas e políticas. Acontece que a petralhada já considera exagerado negar que o molusco não é o novo Cristo.

Na verdade o Lula entregou o país muito parecido com aquele que recebeu, com algumas arapucas econômicas que só aparecerão mais na frente e que já começaram a aparecer, como a trágica volta da inflação e a divida pública explosiva.

O chamado grande triunfo do cachaceiro foram as políticas sociais tucanas expandidas durante o seu governo. Infelizmente, são políticas muito mais paliativas do que curativas, ou seja, os pobres receberam algum alívio, mas não uma solução permanente para se manterem fora da pobreza sem a ajuda do governo.

Como eu já publiquei neste blog: O LULA NÃO FEZ NADA QUE FOSSE DIFICIL DE FAZER.

Por que então eu declararia que ele é o pior presidente que o Brasil já teve? A resposta é a seguinte: Nunca um presidente brasileiro tomou posse com tantas opções e possibilidades para transformar profundamente o país. Nunca um presidente brasileiro teve tanto capital político e financeiro para enfrentar e derrotar de vez as antigas e imensas mazelas que afligem nossa pátria. Em relação a que ele poderia ter feito e de fato fez, o Lula foi o pior presidente que já tivemos.

Ele lutou contra as forças corporativistas e atrasadas da política nacional? Ao contrário, ele se acovardou e se aliou a elas (Sarney, Collor, os velhos coronéis do Brasil). Ele revolucionou a qualidade da educação? A colocação horrorosa do Brasil em provas internacionais, como o exame PISA, prova que não. O Brasileiro tem acesso a um bom hospital quando precisa, a um preço razoável? Pergunte para o seu vizinho, caro leitor.

O Brasil está irreconhecível após oito anos de Lula? O essencial continua igual, nenhuma reforma foi feita. Lula foi um grande fracasso. Leiam abaixo o que verdadeiramente simboliza o governo do pior presidente que já tivemos.


Dirceu deve escapar de condenação
Com a prescrição do crime de formação de quadrilha, nada sobraria contra ele no tribunal
Do Diário do Comércio

A história do tribunal mostra que as poucas condenações do STF só ocorreram quando obtidas provas cabais, impossíveis de serem contestadas. Por isso, dizem os ministros, seria praticamente impossível encontrar provas suficientes para condenar José Dirceu por corrupção ativa. Com a prescrição do crime de formação de quadrilha, nada sobraria contra ele no tribunal.

O mesmo vale, por exemplo, para Luiz Gushiken, ex-ministro do governo Lula, denunciado por peculato. Todos os ministros ouvidos reservadamente disseram que não havia sequer indícios suficientes sobre a atuação de Gushiken para que o tribunal recebesse a denúncia contra ele. Argumento semelhante é usado por ministros em relação ao ex-deputado Professor Luizinho (PT-SP), que foi líder do governo na Câmara.

Luizinho responde pelo crime de lavagem de dinheiro. Ministros dizem que o fato de o ex-deputado ter recebido dinheiro supostamente disponibilizado pelo PT, mas sacado do Banco Rural, não poderia ser classificado como lavagem de dinheiro.

Ao contrário do ex-procurador e autor da denúncia do mensalão, Antonio Fernando de Souza, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, nunca conversou diretamente com o ministro do STF, Joaquim Barbosa, relator do caso. Pior: os 12 pedidos de diligência feitos tardiamente pelo procurador-geral em dezembro, acabaram por atrasar o calendário previsto por Barbosa.

Pelo calendário informal do ministro Joaquim Barbosa, toda a instrução do processo estará concluída em abril ou maio. Depois disso, ele terá de analisar as mais de 42 mil páginas, reunidas em mais de 200 volumes, com quase 600 depoimentos e um calhamaço de provas colhidas.

Ao terminar seu voto, o que deve fazer até o final do ano ou no início de 2012, Barbosa repassará todo esse volume de informações para o colega que está incumbido de revisar o caso, o ministro Ricardo Lewandowski. O ministro terá igualmente de ler todos esses documentos para preparar um voto revisor.

Com isso, o processo estaria pronto para ser colocado em pauta no segundo semestre de 2012. Porém, não seria prudente o STF julgar neste período uma ação com potencial para interferir na eleição municipal. O julgamento ficaria para 2013, oito anos depois de descoberto o mensalão.

domingo, 27 de março de 2011

Está na hora de extirpar o PT


Começou o trabalho de extirpar o PT da política nacional, e começa em São Paulo com um político surpreendente, Geraldo Alkmin. Alkmin parece mansinho, foi chamado de picolé de chuchu pela Heloísa Helena, mulher que não conseguiu se impor nem no seu próprio  partido, foi mandada para o escanteio pela múmia milionária, herói do povo, Plínio de Arruda Sampaio, que obteve menos votos que o Tiririca...

Geraldo Alkmin levou o molusco maravilha para o segundo turno em 2006. E derrotou o PT logo no primeiro turno para o governo de São Paulo em 2010 .

Há um ditado segundo o qual toda política é local. Temos que desmascarar os corruptos vagabundos e criminosos dos petistas em todos os cantos do país, em todos os municípios. Sem piedade, o PT trabalha contra o Brasil honesto e moderno e tem de ser combatido dentro da legalidade, por mais que eles trabalham fora dela, o que torna o combate mais difícil para nos, mas, ao mesmo tempo, é o que nos distingue.

Força total para o surpreendente Geraldo Alkmin, o Brasil decente está cem por cento atrás dele.

Só falta agora os outros políticos da oposição virarem homens e não se deixarem impressionar por esse tigre de papel que é o partido dos trambiqueiros, o PT.

 Alckmin age para ‘virar’ voto em área petista

Por 2012, tucano abre queda de braço com Lula nas regiões metropolitanas do Estado

26 de março de 2011 | 16h 00
Roberto Almeida, de O Estado de S.Paulo
SÃO PAULO - Ao mesmo tempo que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já entra nas articulações para ampliar o número de prefeitos do PT em São Paulo nas eleições de 2012, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) prepara uma ofensiva tucana. Ele tentará reverter, com atos cirúrgicos de governo, o histórico de derrotas para os petistas na área mais populosas do Estado, intitulada "Macrometrópole Paulista".
Como ponto de partida, Alckmin será alçado na quarta-feira à presidência da Câmara de Desenvolvimento Metropolitano, novo braço da Secretaria de Desenvolvimento Metropolitano do governo estadual. Ele terá função de "autoridade metropolitana", com a missão de planejar as ações de governo do PSDB e coordenar sua execução.

O tucano delimitou como foco de trabalho uma área de 44 mil km², englobando 153 municípios do Estado (veja mapa). Estão incluídas prefeituras comandadas pelo PT - o chamado "cinturão vermelho", com população superior à do cordão de municípios administrados por tucanos que se espalha pelo interior.
Alckmin quer emplacar marcas de sua gestão nessas cidades. "Teremos uma articulação clara e um avanço institucional", disse o secretário de Desenvolvimento Metropolitano, Edson Aparecido, responsável pelo projeto.

sábado, 26 de março de 2011

O governo mais capitalista da historia do Brasil



Se a alma do capitalismo for o fato de se enriquecer pelo trabalho dos outros, então certamente o governo petista foi o governo mais capitalista da história do Brasil.

Ouvimos coisas, que são cientificamente comprovadas, como "os bancos nunca ganharam tanto dinheiro como durante o governo Lula". Quem trabalha mais? Um banqueiro ou milhões de trabalhadores? Pois é, um banqueiro ganhou mais do que milhões de trabalhadores.

E filho do Lula que era funcionário de zoológico e hoje é "empresário de sucesso", milionário? Gostaria de saber o que ele tanto produziu de valioso para contribuir para a riqueza e o bem estar da nossa sociedade.

O capitalismo deles é aquele que tem como objetivos: Enriquecer os amigos, desacreditar o capitalismo sério (aquele que enriqueceu milhões de possoas no mundo e os tirou outras milhões da miséria), financiar a manutenção do PT no poder eternamente.

E o ser humano? Está mais iluminado, mais educado, mais humano? Não! Mas a indústria conseguiu mais consumidores de baixa renda para vender televisores e geladeiras! Viva o capitalismo! No governo do PT, é dinheiro para todos os lados. Principalmente para os que menos trabalham e produzem esse dinheiro. Vai enriquecer sem trabalhar assim lá na bolsa de valores de Nova York!

E os Tiriricas e Romários da vida? Precisando de grana? Que tal 26,000 ao mês? É só votar com a base aliada! Aí o PT manda uma graninha para sua campanha e coloca o molusco no teu programa eleitoral. Aí, a popularidade dele, comprada com uma grana fabulosa que foi para a indústria do marketing, vai ajudar a te eleger. É grana! É grana!

Lula comprou avião novo, agora a Dilma também, é grana para os sindicatos, é grana para comprar a UNE, é grana para o MST, é grana para tudo que não presta e não produz UM PEIDO!

É grana da Petrobras para a Bolívia, é grana do BNDES para a Venezuela, o Equador e Cuba.

O PT nos transformou, caros contribuintes brasileiros, nos MAIORES OTÁRIOS DO MUNDO!

Quando vamos mandar a fatura para os vagabundos? Quem sabe nas próximas eleições? A esperança é a última que morre.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Por que ser um reacionário raivoso de direita? Por uma questão de sobrevivência.


Para todos os simplórios que acreditam nos arautos da utopia, nos líderes do futuro glorioso, rogo que leiam abaixo sobre a realidade atrás da marquetagem. Essa é a solução secreta dos esquerdistas para acabar com a opressão, enfiar balas nos crânios do oprimidos...

Para nunca perdoar

Em cada crânio estraçalhado, a certeza de que o comunismo nunca passou de uma cruel farsa megalomaníaca orquestrada por cínicos assassinos psicóticos.

A história da humanidade é a história da guerra, disse certa vez Churchill. Da guerra e de seus massacres, completar-lhe-ia eu. Neste fim de semana, revi o ótimo filme O Massacre de Katyn, do diretor polonês Andrzej Wajda. Os primeiros dois minutos do filme nos gelam a alma de tal maneira que só uma obra de arte poderia fazer. Em 1º de setembro de 1939, Hitler invade a Polônia e dá início à pior guerra da história humana. Pondo em prática entendimentos secretos firmados entre os governos alemão e soviético, os comunistas também invadem, em 17 de setembro, o território polonês. Em dois minutos, a película expõe a encruzilhada daquele povo: de um lado da ponte, uma multidão de civis poloneses foge dos nazistas vindo do oeste. Na extremidade oposta, outro grupo de civis tenta escapar da invasão vermelha ao leste. Aterrorizados, os grupos se encontram no meio da ponte e os membros de um tentam convencer o outro, entre gritos e atropelos, que o melhor caminho a seguir é o contrário. Fecha a cena.


Cinco de março de 1940. Stalin acorda para mais um dia árduo de trabalho. Enquanto toma um cafezinho e passa os olhos pelas notícias matutinas, assina displicentemente a ordem de execução que resultará na morte de pelo menos 20 mil poloneses feitos prisioneiros durante a invasão. Fecha a cena.


Primavera de 1940. Tratores rasgam o solo da floresta de Katyn e preparam as valas. É chegada a hora de semear a morte. Milhares de homens são trazidos em camburões em sucessivas viagens. Todos têm as mãos atadas de um modo que também os impede de mover o pescoço. Aos mais desesperados, é reservado um saco escuro amarrado à cabeça. A ação é rápida e sistemática. Dois homens levam o prisioneiro à beira da cova. Um terceiro chega por trás e, sem que a vítima o perceba, faz um único disparo na nuca. O corpo cai. Um quarto soldado recarrega a arma. A floresta abafa o som surdo, mas constante das balas. O soldado do trator empurra a terra grossa da floresta para cima dos corpos. "Que merda. Esses cigarros do governo estão ficando com o gosto cada vez pior" pragueja, enquanto manobra a máquina por cima dos cadáveres. Fecha a cena.


Março de 2011. Vejo as fotos de milhares de ossadas e uma infinidade de pequenas medalhas cristãs e pingentes com recordações familiares. Em cada crânio estraçalhado, a certeza de que o comunismo nunca passou de uma cruel farsa megalomaníaca orquestrada por cínicos assassinos psicóticos. No local da barbárie, hoje, um memorial com os dizeres: "Para nunca esquecer. Para nunca perdoar". Fecha a cena, sobem os créditos.








Rodolfo Oliveira é jornalista.


Publicado no jornal O Estado

quinta-feira, 24 de março de 2011

Brincando com nitroglicerina

NOSSA LEI FUNDAMENTAL


Parece que a nossa constituição continua valendo. Mas foi por pouco! Por seis votos a cinco, o STF decidiu que a lei da ficha limpa só terá efeito para os pleitos de 2012. É espantoso que essa decisão, tão escancaradamente óbvia, tenha sido tomada por uma maioria tão apertada. É que a constituição é claríssima sobre esse assunto. Segundo o Artigo 16 da Constituição Federal, “a lei que alterar o processo eleitoral entrará em vigor na data de sua publicação, não se aplicando à eleição que ocorra até um ano da data de sua vigência”.  .

Para os leigos em direito, é preciso saber que quanto mais uma lei é imprecisa e ambígua, mais liberdade tem o juiz para interpretá-la segundo as intenções do legislador e o lugar que a lei ocupa no ordenamento jurídico. Nesse caso, porem, a lei (o artigo 16 da constituição) é CEM PORCENTO PRECISA, NÃO HÁ ESPAÇO PARA INTERPRETAÇÃO! Qualquer interpretação contrária à letra da lei, nesse caso, implica a SUBSTITUIÇÃO DA VONTADE DO LEGISLADOR (que tem a legitimidade vinda das urnas para criar leis) PELA VONTADE ILEGÍTIMA DO JUÍZ (que não foi legitimado pelas urnas). Seria uma relativização inaceitável do caráter sagrado da constituição. Além disso, com que podemos contar nesse país se nem mesmo os nossos mais ilustres juízes não entendem os princípios básicos do direito público? É deprimente.

Quando a constituição está em perigo, também estão em perigo: a delimitação do território nacional, todo o sistema político, administrativo e eleitoral da federação, dos estados e dos municípios, a validade e solidez de todas as leis que encontram sua legitimidade na constituição, ou seja, TODAS AS LEIS DO PAÍS, código civil, penal (lei que protege nossa integridade física!), lei Maria da penha, proteção dos cidadãos, garantias de direitos, INSS, receita federal, MEC...

Tudo que existe na forma de instituição, ministérios, estatais, escolas e universidade públicas, cartórios, forças armadas E SUAS ATRIBUIÇÕES (olha a ditadura militar aí gente!), segurança pública, TUDO ISSO FICA AMEAÇADO!

BRINCAR COM A CONSTITUIÇÃO SIGNIFICA BRINCAR COM NITROGLICERINA PURA! se a constituição cair, poderá explodir essa porra toda!

A expansão do atraso



Faz oito anos que as forças do atraso recuperam o terreno que perderam durante a administração FHC. Os ex-presidentes Collor e Sarney são apenas a personalização da retomada dessas forças da antiga política autocrática, estatizante e corporativista. Trata-se daquela velha política que quer que o povo brasileiro esteja sempre por baixo, submisso em relação à classe política, independentemente de quem for o político da vez, e a causa do poder pelo poder une políticos de todas as cores: de esquerda, direita, conservador, militar.

Os políticos do atraso querem que o país exista em função deles. Eles não aguentariam serem relegados a simples organizadores da sociedade, administradores públicos, gerentes da nossa infraestrutura coletiva. Não, eles têm de ser "OS CARAS".

Agora as forças do atraso estão começando a ficar de olho e avançar mesmo sobre uma empresa que já foi submetida a eles e que conseguiu se libertar, a Vale, que desde então, sem os políticos, se transformou na maior empresa privada do país, um atestado à superioridade da independência em relação aos políticos.

Talvez seja por isso que eles querem acabar com ela, pois ela simboliza o Brasil que poderia existir se estivesse livre das garras do estado: um país grande em todos os sentidos, eficiente, próspero, uma verdadeira potência econômica, e não uma de mentirinha, como é hoje.

Tomara que não consigam e que nós consigamos um dia a nossa liberdade também. Amem. 


Oposição critica suposta interferência do governo na Vale
GABRIELA GUERREIRODE BRASÍLIA

A oposição reagiu nesta quarta-feira às supostas interferências do governo na empresa Vale.

Em visita ao Congresso, o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB) disse que a "burguesia do Estado petista" está se expandindo para "aparelhar a maior empresa privada do país".
"O governo decide, portanto é o governo quem vai dirigir a empresa. Decide tirar e decide quem põe. É um fenômeno antigo, já tem alguns anos, mas é fenômeno presente: a burguesia estatal presente que prospera nos últimos anos", disse.
O presidente do PSDB, Sérgio Guerra, afirmou que a "fome por cargos" do PT faz o governo federal buscar o controle da empresa.
"Eles querem ocupar tudo, mandar em tudo. Uma coisa é o discurso da Dilma, outras são os gestos do governo. Deixem a Vale em paz."
O presidente do DEM, José Agripino Maia, saiu em defesa do presidente da Vale, Roger Agnelli.
O senador anunciou que vai tentar convocar o ministro Guido Mantega (Fazenda) na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado para explicar as mudanças na empresa.
"Me apavora a idéia de aparelhamento do Estado. É uma temeridade se isso vai acontecer. Se o ministro confirmar isso, ele deve explicar as razões da substituição. Quero saber porque trocar um grande gestor de uma empresa. Em time que está ganhando não se mexe", afirmou.
O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) disse que o governo quer fazer uma "venezuelização" no país ao mudar as regras de controle da Vale.
"Quero censurar a atitude da presidente da República. É uma tentativa do governo de reestatizar a Vale. Não como acionista, convocando assembléias, mas da maneira mais espúria e atrasada."

terça-feira, 22 de março de 2011

Não é concebível a Dilma achar que pode mandar na ONU

EM NOME DA MINHA IDEOLOGIA, SACRIFICO A POSIÇÃO DO MEU PAÍS NO MUNDO PARA AJUDAR UM ASSASSINO! ADEUS CONSELHO DE SEGURANÇA!

Um dos grandes problemas de Brasília é que como a cidade fica longe do Brasil de verdade, o Brasil que produz e sofre para conseguir as coisas, os seus habitantes, sobretudo os mais paparicados pelo dinheiro e a pompa pública, simplesmente perdem a noção da realidade.

Eles esquecem que o Brasil, e não adianta ter governo petista megalômano, não é uma potência mundial, nem económica, nem tecnológica, e, sobretudo e mais importante para essas coisas, militar. O Brasil é, no máximo, um país com enorme potencial que é desperdiçado pela imensa imbecilidade de seus líderes e uma grande parcela de habitantes que vota nesses líderes.

O Brasil poderia ser tudo isso, mas não é. Não é, porque para isso os cidadãos teriam que se livrar do imenso peso da burocracia, legislação trabalhista suicida e da carga tributária alucinante que tira o dinheiro do lugar que poderia tornar esse sonho possível, do setor produtivo.

Não é, porque uma das ideologias mais atrasadas que surgiu na história da humanidade tem forte influência na sua política, o marxismo. Essa ideologia fez com que o Brasil se alinhasse com os regimes mais sangrentos, antidemocráticos e perigosos durante o governo Mula. Dessa maneira, o Brasil  perdeu a confiança dos países que detêm o verdadeiro poder no mundo; confiança em relação à sua capacidade de entender os assuntos complexos do mundo, como o perigo nuclear iraniano, que foi reconhecido por antiamericanos históricos como a Rússia e a China em resolução das Nações Unidas. Essa confiança pode demorar anos, décadas para ser reconstruída.

Essa é a realidade que a imbecilidade não tem capacidade de reconhecer.

Dilma diz que não é concebível reforma do CS da ONU sem Brasil

REUTERS
A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira não ser concebível uma reforma do Conselho de Segurança da ONU que não inclua o Brasil como membro permanente do órgão.


"Não é concebível uma ONU reformada sem o Brasil. Nós não temos a menor dúvida quanto a isso", disse Dilma a jornalistas em Manaus após o lançamento de programa para prevenção e tratamento do câncer de mama e do colo de útero.

A obtenção de um assento permanente no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) é um dos principais objetivos da política externa brasileira. A reforma do órgão e a inclusão do Brasil foi, inclusive, um dos temas tratados por Dilma com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, durante a visita dele a Brasília no sábado.

Brasil e outros países, como Índia e Alemanha, defendem uma reforma do Conselho que permita a ampliação dos membros permanentes. Atualmente, são integrantes fixos Estados Unidos, Rússia, Grã-Bretanha, França e China.

segunda-feira, 21 de março de 2011

Imaginem isso no poder...


Isso é o marxismo, ignorância misturada com ódio transformado em coquetel molotov e um ser humano, trabalhador da embaixada americana, com queimaduras de segundo e terceiro grau. O filhinho imbecil achou que aquele funcionário devesse queimar vivo por causa da visita do Obama. Depois vem a mãe do humanista justificar o ato como resistência a uma suposta "invasão" do presidente Obama! Invasão! Socorro! Fomos invadidos pelo Obama! MEU DEUS DO CEU!

Já houve, queridos leitores, momentos e países nos quais essa gente chegou ao poder. O que tivemos então? Genocídio, Gulag, fome, miséria, tortura, deportações em massa, muro de Berlim, Pol Pot, milhões mortos de fome pelas reforma do Mão Tsé-Tung, aproximadamente CEM MILHÕES DE MORTOS PELOS COMUNISTAS E SOCIALISTAS NO MUNDO INTEIRO!

Como é que tem gente que ainda apoia essa porcaria? Esse flagelo mental que imbui às pessoas com tanto ódio. Essa mulher nunca encontrou um americano na vida! Mas ela os odeia! Isso é puro ódio irracional, imaginem isso no poder... Seria o suicídio da nação.

domingo, 20 de março de 2011

Discurso antiamericano para quem precisa...


Seja bem-vindo Obama, apesar de não ser um ditador assassino....
A presidente Dilma já acordou muitas vezes na sua vida precisando do discurso antiamericano. Precisou dele para se inserir na esquerda radical quando era estudante, precisou dele para se afiliar ao PDT e depois ao PT e fazer carreira nesses dois partidos até chegar ao topo da hierarquia política brasileira, a presidência.

Só que hoje, ela acordou e se deu conta de uma coisa maravilhosa, espetacular, NÃO PRECISOU MAIS DO DISCUROS ANTIAMERICANO! Já tinha enganado os trouxas que precisou enganar, afinal, do que mais ela precisa? Já tem a presidência, já tem o congresso nacional no bolso e nem seu criador teve a coragem de aparecer no jantar dos ex-presidentes, alias, alguém precisa lembrá-lo que ele já é um, acho que ainda não percebeu, mas isso fica para outra postagem.

No mundo real o Brasil e os Estados Unidos têm muito em comum. São países grandes e importantes em seus respectivos continentes. Além disso, os Estados Unidos é o país mais bem sucedido das Américas, economicamente, culturalmente, militarmente e politicamente. Somente os imbecis dos marxistas e os fundamentalistas islâmicos são contra os EUA por causa da incompatibilidade das suas ditaduras sangrentas e repressivas com o ideal de liberdade e prosperidade representado pelos lideres do mundo livre.

Hoje Dilma acordou e deu graças a Deus por não precisar mais do discurso antiamericano imbecil. QUE VIVA A AMIZADE DO BRASIL COM OS ESTADOS UNIDOS!

Essa sim é amizade que vale a pena!

Os danos das leis trabalhistas para a criação de riquezas no Brasil

Chegar a um acordo? A lei proíbe!


Artigo da revista "The Economist"- traduzida


EM 1994 Ricardo Lemos (não é seu nome verdadeiro) e mais dois amigos compraram uma rede de farmácias em Pernambuco, no nordeste do Brasil. Logo depois, eles foram levados ao tribunal por quatro ex-funcionários das farmácias que afirmavam que eram devidos 500.000 reais (570.000 dólares na época) por causa de horas extras e férias. Uma vez que os novos proprietários não tinham registros da folha de pagamento, a Justiça do Trabalho determinou contra eles, apesar de terem acabado de comprar o negócio e os próprios requerentes tinham sido encarregados de fixar os salários e os horários de trabalho. O juiz congelou suas contas bancárias, e por isso tiveram que fechar as lojas, com 35 demissões. Dezessete anos depois, três dos casos foram resolvidos, por um total de 191 mil reais. O último se arrasta porque a viúva do reclamante e o filho brigam sobre quanto aceitar.
Sr. Lemos e seus sócios entraram em choque com as leis trabalhistas do Brasil, uma coleção de direitos dos trabalhadores estabelecidos em 900 artigos, alguns escritos na constituição do país. Eles foram originalmente derivados do código do trabalho corporativista da Itália de Mussolini. Eles são caros: os despedimentos "sem justa causa" resultam numa multa de 4% do montante total que o trabalhador ganhou até ali, por exemplo. (Nem um funcionário preguiçoso, nem um empregador falido, constituem justa causa.) Alguns são estranhamente específicos: por exemplo, férias anuais só podem ser tomadas em um ou dois tempos, e não podem ser de menos de dez dias. Em 2009, 2,1 milhões de brasileiros abriram processos contra os seus empregadores na Justiça do Trabalho. Estes tribunais raramente julgam em favor dos empregadores. O custo anual de funcionamento deste ramo do Judiciário é de mais de 10 bilhões de reais (US $ 6 bilhões).

Empresários reclamam há muito tempo que essas leis trabalhistas onerosas, com encargos sociais elevados, inibem-os de contratar e os incentivam a pagar por baixo da mesa quando o fazem. Quando Luiz Inácio Lula da Silva, um ex-líder sindical, tornou-se presidente do Brasil em 2003, eles esperavam que ele estivesse em melhor posição do que seu antecessor para convencer os trabalhadores que regras mais frouxas seria melhor para eles. Mas os escândalos em seu primeiro mandato descarrilaram essas e outras reformas esperadas  .

Mas recentemente, como a economia do Brasil tem crescido, com um número recorde de empregos criados, a necessidade de mudança pareceu menos urgente. As leis são "muito atuais”, disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, em dezembro. Ele quer que a demissão de trabalhadores se torne ainda mais cara.
 Muitos dos novos empregos são formais (ou seja, legalmente registrados) apesar da legislação trabalhista, e não devido a ela. A tendência para a formalização é um grande resultado da maior disponibilidade de crédito bancário e capital social, por um lado, e as recentes alterações que tornam mais fácil para registrar as microempresas, por outro. E isso convive com dois pontos fracos de longa data no Brasil: rotatividade elevada de funcionários e baixo crescimento da produtividade.

Gustavo Gonzaga, economista da Universidade Católica do Rio de Janeiro, observa que um importante terço dos trabalhadores brasileiros são despedidos por ano, um fato que ele atribui em parte às próprias leis trabalhistas. Estas são extremamente rígidas: elas impedem os patrões e os trabalhadores de negociar mudanças nos termos e nas condições, mesmo que sejam mutuamente aceitáveis. Elas também dão aos trabalhadores incentivos poderosos para serem demitidos, em vez de renunciar. O  pagamento de indenizações generosas e mal projetadas causa conflito, diz o deputado Gonzaga, e incentiva os trabalhadores a mudar frequentemente de trabalho. Essa rotatividade afeta a produtividade, como os empregadores preferem não gastar em treinamento, só para ver seu investimento ir embora.
Recentemente, a causa da reforma ganhou um recruta surpreendente: o sindicato que o próprio Lula já liderou. O sindicato dos metalúrgicos do ABC, o que representa 100.000 trabalhadores nos subúrbios industriais de São Paulo, está tentando fazer acordos coletivos negociados obrigatórios em todos os tribunais trabalhistas.


Os sindicatos no Brasil não podem praticar os tipos de atividades que são comuns em outros lugares, como aceitar cortes nos salários durante as recessões, em troca da manutenção de todos os postos de trabalho, uma vez que os trabalhadores individuais podem solicitar posteriormente a Justiça do Trabalho para se desfazer deles. Hélio Zylberstajn, presidente do Instituto Brasileiro do Emprego e Relações do Trabalho, um grupo de estudo, acredita que a iniciativa é promissora. Sindicatos com o poder de negociar poderia passar mais tempo representando os seus membros e menos se aproximando aos políticos, diz ele. E as queixas dos trabalhadores podem ter resolvidas rapidamente no local de trabalho, ao invés de lentamente no tribunal.

Propostas dos metalúrgicos poderiam melhorar a situação, pelo menos para as grandes empresas. Para as empresas menores, e os investidores estrangeiros, o melhor conselho ainda será "empregador, tome cuidado". Ana Rita Gomes, do Mattos Filho Advogados, um escritório de advocacia de São Paulo, conversa com potenciais clientes sobre o que ela chama de "potes de ouro": as práticas que parecem inofensivas para os não iniciados, mas podem os levar diretamente para os tribunais de trabalho. Um exemplo é a indicação dos salários em moeda estrangeira. Flutuações cambiais significa que esta é contrária à proibição de nunca pagar um trabalhador menos um mês do que o anterior. Uma vez que seus clientes estejam devidamente aterrorizados, ela explica porque eles deveriam mesmo assim ir adiante, com cautela. "Essas dificuldades deixam outros investidores de  fora", diz ela. "Isso significa menos concorrência para eles, e  lucros mais elevados.”
Em Pernambuco, o Sr. Lemos transformou os seus erros em lições valiosas, pelo que aconselha outros empresários. Ele lhes aconselha a ficar longe de um negócio, a menos que o vendedor possa produzir registos de pagamentos, resolva todos os casos pendentes  no tribunal de trabalho e prometa compensação para casos que se são trazidos sobre assuntos que são anteriores à venda. O novo proprietário continuará a ser responsável se o antigo não puder pagar, diz ele, mas pelo menos há menos possibilidade de má-fé. Recentemente, ele aprendeu que, antes da sua  própria compra malfadada, o vendedor disse aos seus funcionários que o novo patrão era rico, e que deveriam guardar as suas reclamações até que o negócio seja concluído.

sábado, 19 de março de 2011

PSTU Racista

OS SOCIALISTAS NÃO GOSTAM DE NEGROS!

O PSTU, Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado, demonstrou um racismo exacerbado quando eles manifestaram contra a visita do primeiro presidente americano negro, Barak Obama. O que é isso gente? Só porque ele é negro não quer dizer que não seja um bom presidente! Chega de opressão socialista contra os negros oprimidos! Viva a tolerância com todas as raças! Abaixo o PSTU RACISTA!

(ENTÃO, IMBECILIDADE MARXISTA, QUE TAL O GOSTINHO DO PRÓPRIO VENENO?)

sexta-feira, 18 de março de 2011

O reator Kassab

Constituir uma força política alternativa? Yes we can!

Bombeiros do PT, do Dem e do PSDB ainda tentam conter a radiação política do vazamento do prefeito Kassab. As autoridades ainda temem que o vazamento político constitua uma ameaça para a polarização PSDB-PT.

A base aliada conseguiu esfriar o PSB que estava sendo amplamente irradiado e arriscava sofrer uma mutação genética com uma possível fusão com o partido novo do radioativo Kassab, o PDB.

A nuvem atômica Kassabista, que paira sobre São Paulo faz tempo, e que já conta entre suas vítimas a Marta Suplicy e o Geraldo Alckmin, ameaça se espalhar sobre todo o território nacional e afetar a disputa presidencial de 2014.

Bombeiros da oficialidade de São Paulo e de Brasília estão fazendo de tudo para conter a fera.

Eu pessoalmente adoro quaquer notícia que tire os nossos reizinhos de sua área de comforto. Que tal suar um pouco pela nossa bufunfa?

Kassab reserva plenário da Assembleia de SP para ato político
 Julia Duailibi e Marcelo de Moraes
O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), solicitou à Assembleia Legislativa de São Paulo um plenário da Casa para realizar um ato político, na próxima segunda-feira. De acordo com aliados do prefeito, o ato será para anunciar a criação do seu novo partido, batizado provisoriamente de PDB (Partido da Democracia Brasileira). A legenda deve ganhar novo nome.
A Assembleia ainda não definiu qual plenário será disponibilizado pelo prefeito. Há duas opções: o Teotônio Vilela e o Paulo Kobayashi. 
Na noite desta quinta, 17, o prefeito encontra-se com o ex-senador Jorge Bornhausen (SC), que ainda fará um apelo final para Kassab fique no DEM.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Ministro da injustiça


No vídeo acima, vemos o atual ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, participar de um foro da extrema esquerda da América latina, o foro de São Paulo. Hoje, ele faz de conta que não, que não está do lado da esquerda revanchista, que quer buscar a verdade "que a sociedade brasileira exige".

Seria uma piada de mau gosto se não fosse verdade, que um homem explicitamente comprometido com um dos lados da guerra fria (o mais sanguinário, a esquerda) tenta se fazer passar por alguém que só está interessado na realidade objetiva da época, sem tomar posição, querendo apenas a verdade.

Eles não se conformam de terem perdido a guerra fria e acham que acabaram ganhando porque hoje estão no poder. O que eles não entenderam é que o poder que eles têm hoje, na sociedade brasileira atual, não corresponde ao poder que eles queriam, já na época da guerra fria: a ditadura socialista.

Não há maquina do tempo, aquela guerra já era. Ou eles se concentram em fazer aquilo que foram eleitos para fazer, que é governar o país para todos os brasileiros, incluindo para os cidadãos de direita e as novas gerações que não querem saber de tarados por Che Guevara, ou que caiam fora. 




Cardozo: Quem for contra Comissão da Verdade que se expresse



Salário de ministro para envenenar a política com fantasmas do passado, uma vergoha e uma pena para o Brasil.



Extraído de: OAB - Rio de Janeiro  -  10 horas atrás
Cardozo reage a militares e diz que quem for contra Comissão da Verdade que se expresse
Do jornal O Globo
16/03/2011 - O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, defendeu na manhã desta terça-feira, dia 16, a criação da Comissão da Verdade e, indiretamente, mandou um recado aos militares que ainda resistem à constituição desse grupo. O Comando do Exército, em documento recente divulgado pelo GLOBO , manifestou posição contrária à comissão e disse que irá criar tensões e retaliações. Questionado sobre assunto, o ministro respondeu:
"Quem quiser resistir à busca da verdade, o fará nos termos da exposição democrática. A sociedade brasileira hoje quer a verdade. Se alguém é contra, que se expresse. Vamos apoiar esse projeto (que tramita no Congresso e cria a Comissão da Verdade)" , disse José Eduardo Cardozo.
"A sociedade brasileira hoje quer a verdade. Se alguém é contra, que se expresse. Vamos apoiar esse projeto". O ministro disse ainda que os esclarecimentos do que ocorreram durante a ditadura é um compromisso histórico do governo. As declarações de Cardozo ocorreram durante evento que homenageou mulheres perseguidas pelo regime militar e que foram presas e torturadas.
"Essa homenagem a mulheres que estiveram na luta contra o período do obscurantismo do governo militar. Muitas mulheres tombaram, lutaram e algumas sobreviveram. Temos que resgatar essa memória e assumir os erros do Estado no passado para que isso não mais aconteça", disse o ministro.
Cardozo defendeu o pagamento de indenizações para essas mulheres."Um direito não só por lei, mas por justiça", disse.

Eles só discutem entre eles

Vamos consultar nosso eleitorado? Hum, não tinha pensado nisso...


Quem escolheu a Dilma candidata? Foi o Lula. Quem escolheu o Serra candidato? Seus aliados o emplacaram no PSDB em detrimento do Aécio, que justiça seja feita, tinha pedido prévias, o que certamente teria acionado e motivado a militância de base do partido já antes das eleições.

FHC, Lula, Serra, Dilma, Kassab, Aécio e tantos outros são construções políticas artificiais. Não que eles não tiveram que dedicar anos de suas vidas na construção de seus nomes, mas isso sempre foi feito de cima para baixo. Até o filho do Brasil foi fabricado nas altas esferas partidárias para depois ser vendido nos mercados públicos e botecos esquerdistas Brasil afora. Lula, antes de ser eleito, já fazia parte da elite politiqueira brasileira durante décadas.

Essa é a maneira brasileira de fazer política: Você se agarra a cargos públicos para se financiar, busca apoio político (padrinhos) dentro dos partidos e corporações para garantir uma vaga de candidato e o povo fica obrigado a votar em você ou em outro parecido com você, que fez carreira na politicagem.

O PT aprendeu com os Sarney e Collor da vida que essa é a melhor maneira de se manter no poder, se juntou a esses gigantes morais e hoje, com eles, se mantem e se fortalece.

O Dem tenta se reorganizar, também nesse contexto de politica de caciques. A única diferença é que os seus caciques não estão bem definidos e esse processo está causando o enfraquecimento dessa legenda, mas quem acha que o modelo de fazer política mudou uma vírgula em relação a todos os outros partidos nacionais está redondamente enganado. A opinião do seu eleitorado, nesse momento crucial não vale um peido. Imaginem uma consulta via internet do eleitorado do Dem, nem que seja estritamente consultivo, sobre os rumos do partido, que gás isso daria, não?

Há uma luz no fim do túnel? Com certeza, só que ela ainda não está visível, e a democracia brasileira tem de sobreviver mais um tempo para que ela possa aparecer. É para isso que trabalhamos hoje, nós, os verdadeiros democratas.

DEM elege presidente e discute criação de partido político
Agência Brasil
PDBMesmo ausente, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, foi o principal nome citado nas conversas que precederam a reunião. A possibilidade de que o prefeito crie um novo partido – que será chamado de Partido da Democracia Brasileira (PDB) – e leve consigo deputados, senadores e até governadores do DEM, vem provocando reações divergentes no partido.

Para o líder do DEM na Câmara, deputado Paulo Bornhausen (DEM-SC), ainda é possível uma “conciliação” interna. “Você vai ver dois ou três fazendo bravata, mas não são os que têm voto, nem os que ganharam as eleições nos seus estados. O prefeito Kassab é uma liderança importante e nós, do Democratas, queremos muito que ele fique”.

O ex-senador baiano Antônio Carlos Magalhães Júnior também aposta que o racha pode ser revertido. Na opinião dele, a criação de um novo partido é complicada e pode prejudicar quem sair do DEM. “É um partido que não tem tempo de televisão e não tem fundo partidário. Agora, para manter as pessoas não podemos brigar, temos que conciliar para que as perdas sejam as menores possíveis”.

Apesar das tentativas de amenizar as divergências, alguns membros do partido já dão como certa a criação do PDB. É o caso do deputado Onyx Lorenzoni (RS), que considera que não há mais como o prefeito de São Paulo “voltar atrás”. “Ele já saiu pelo país todo prometendo a criação do partido, agora não há mais como não fazer o PDB”. Os estragos, contudo, devem ser pequenos. “Eu não tenho nenhum medo de dizer que saem cinco ou no máximo sete deputados. Numa bancada que tem 46, esse número não é relevante. A senadora Kátia Abreu também já deu todos os sinais de que deve ficar. Então, no Parlamento, fica praticamente igual”.

A possível saída da senadora Kátia Abreu é uma das principais preocupações que o novo presidente do Democratas terá que enfrentar. O partido, que tinha 13 senadores na legislatura passada, conta agora com apenas cinco. O encolhimento já provocou a perda de posições importantes nas comissões permanentes do Senado e a saída de mais uma senadora poderia ser ainda mais prejudicial.
O racha interno no Democratas, que levou à possibilidade de criação de um novo partido, marcou a reunião da Executiva Nacional do DEM nesta terça-feira (15), em Brasília.

Os principais quadros do partido estiveram reunidos para eleger, temporariamente e por unanimidade, o senador José Agripino Maia (DEM-RN) como novo presidente. Agripino assumirá até dezembro o lugar do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), que teve seu mandato encurtado depois de o partido encolher no Congresso Nacional nas últimas eleições.


Apesar disso, Kátia Abreu não confirmou que irá mesmo sair do DEM. Segundo ela, o novo partido só poderá existir se houver tempo de televisão para que os candidatos a prefeitos em 2012 possam ter condições de se eleger. Caso contrário, segundo a senadora, ele terá a função apenas de garantir a fusão com outro partido sem que os parlamentares percam seus mandatos. “Se houver esse tempo eu acredito sim na criação de um novo e belo partido”, afirmou Kátia. A lei eleitoral garante que um parlamentar mantenha seu mandato se sair do partido pelo qual se elegeu apenas para fundar um novo partido.

Kátia Abreu lembrou que o resultado desastroso nas eleições de 2010 e a aliança com o PSDB, considerada por ela como “humilhante”, estão entre os principais pontos de insatisfação para os dissidentes do DEM. Mas, tanto o ex-presidente do partido, Rodrigo Maia, quanto o novo, Agripino Maia, garantem que as alianças continuarão intactas. “Nós temos um nível de entendimento robusto que irá se manter. As alianças que o partido faz, elas seguem”, declarou Agripino.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Tirando o deles da reta

Promessa da Gol: Não se preocupe senhora, vamos entregar o seu cachorro direitinho! Pode confiar!


Meu Deus do céu, será possível que um dia alguém nesse país, no setor privado ou no setor público, assumirá a responsabilidade por suas obrigações ou seus erros? A empresa conseguiu perder um cachorro preso numa gaiola de transporte!

Pinpoo (o nome do cachorro)  sumiu e tudo que a empresa tem a dizer é que  "em todas as etapas do processo de transporte do animal em questão, cumpriu com rigor não apenas seus procedimentos e controles internos, mas a legislação vigente." E daí? Cadê o bichinho?

Que tal uma nota dizendo o seguinte: A empresa Gol assume sua responsabilidade na perda de um querido animal de estimação que está causando muita dor e transtorno para a sua dona e fará todo o possível para recuperá-lo. Ao mesmo tempo, a empresa está realizando uma revisão nos seus procedimentos para encontrar a falha e responsabilizar a pessoa encarregada pelo bem estar do animal em questão e tomar as medidas para que esta terrível falha não aconteça novamente.

Que felicidade que eu terei quando um dia aparecerá alguém com um pouco de responsabilidade, decência e humanidade nessa terra de Deus me livre!


Dona de cão perdido em voo desiste de procurá-lo em aeroporto no RS

Advogados estão se oferecendo para assumir o caso, diz Nair; não há novidades sobre a busca

14 de março de 2011 | 17h 23
Estadão.com.br
SÃO PAULO - Nair Flores, a aposentada que perdeu seu cachorro após uma falha no serviço de transporte que o levaria de Porto Alegre para Vitória, desistiu de procurar pelo animal no aeroporto Salgado Filho. O caso aconteceu no último dia 2. Durante três dias, ela foi até o local chamar por "Pinpoo", na esperança de que o cachorro reconheceria sua voz.

Procurada pela reportagem, a assessoria da Gol disse não ter novidades sobre o caso. Através de nota divulgada no último dia 10, a empresa informou que "em todas as etapas do processo de transporte do animal em questão, cumpriu com rigor não apenas seus procedimentos e controles internos, mas a legislação vigente."

Sobre a repercussão do caso na mídia, a dona de "Pinpoo" comenta: "Teve uma repercussão nacional que eu não esperava, e a imprensa está dando todo o apoio". Ela disse que muitos advogados estão ligando para sua casa e se oferecendo para assumir o caso.
Denúncias. O comerciante Félix Antunes disse à Nair por telefone que viu um cachorro na pista do aeroporto no mesmo dia do sumiço de Pinpoo, quando esperava pela chegada de um amigo. Félix não soube dizer de onde o animal saiu, mas afirmou ter visto pessoas o enxotando para fora da pista.
A aposentada tem recebido diversos e-mails e ligações com pistas sobre o paradeiro do cachorro, mas até agora nenhuma informação foi confirmada.


domingo, 13 de março de 2011

Uma oportunidade para a democracia ou o fundamentalismo Islámico?

Pode ser pior? Pode, e como!


O consenso é que a queda de ditadores no mundo árabe é uma evolução positiva. De fato, quando um ditador cai, abre-se uma nova porta na história de um país, e isso é sempre uma razão para se ter esperança. Entretanto, pouco se fala de aquilo que virá. Sempre é bom lembrar que mudanças nem sempre vêm para o melhor. A pergunta que todos deveriam estar se fazendo é a seguinte: o que virá depois? Democracia ou mais ditadura?

É possível ser otimista em relação à vinda da democracia no mundo árabe? A resposta é não. A verdade é que os árabes nem sequer sabem o que isso significa, a democracia.

Mesmo no Brasil, país que teve forte influência democrática vinda dos Estados Unidos, a grande maioria das pessoas ainda não entendeu o que essa palavra significa na realidade. Elas pensam que se trata de apenas da liberdade de escolher os seus governantes em eleições.

Isso é apenas uma pequena parte da democracia. A democracia é muito mais do que isso. A democracia é o exercício de poder diário do cidadão, que entende que, no fundo, apenas ele sabe o que ele precisa para dar sentido à sua vida, e não algum burocrata que sequer o conhece.

A democracia é o que eu faço aqui, neste blog, escrevendo e compartilhando livremente a verdade do ponto de vista de um simples cidadão, a sua peça mais importante. 

espólios de guerra



Antes do Lula, o noticiário político tratava das dificuldades, conquistas e falhas  do governo nas diversas áreas nas quais ele tem incubências. Frequentemente as noticias eram horriveis: falta de controle na economia, falência dos serviços públicos, escandalos e corrupção.

Entretanto, parecia haver um foco. Um foco, uma esperança, uma direção na qual todos pareciam concordar que o país precisava seguir, melhora na educação, na saúde, na luta contra a corrupção e o saneamento das contas públicas.

Hoje em dia, já que o governo e a parte da mídia adestrada pelo petismo têm que fazer parecer que tudo vai bem, que o país nunca esteve tão bem, a grande notícia é que os aliados encaregados da manutenção desta imensa farça vão começar a receber o butim pela reconquista da bufunfa e da pompa do governo federal.

Nesse sentido, a vitória da Dilma representa a mais estrondosa derrota na luta pela busca da modernidade e da decência e da justiça no Brasil. Nosso futuro foi sequestrado e está ameaçado pela canalha mentirosa e psicopata que nos governa. Nossa única esperança é o limite da manipulação. O tempo dirá.


12/03/2011 - 20h00

Dilma aumenta ritmo das nomeações do segundo escalão

Folha de São Paulo
Até agora liberadas a conta-gotas, as nomeações do segundo escalão começarão a sair da gaveta em ritmo mais expressivo, sobretudo para o PMDB, a partir desta segunda-feira, informa o "Painel" da Folha. A semana de "'Diário Oficial' robusto", na definição de um assessor palaciano, trará, entre outras novidades, a indicação de Iris Rezende (GO) para a Sudeco, a manutenção de Elias Fernandes no Dnocs e mais de um posto para o partido na estrutura de Itaipu.
Outras pendências, como o destino de José Maranhão (PB), também deverão ser resolvidas em breve.
Apesar do silêncio mantido em público, aliados manifestam, em privado, enorme aflição em virtude da demora da presidente em contemplá-los

sábado, 12 de março de 2011

A VERDADE PERTENCE A QUEM?

A VERDADE


Essa Comissão Nacional da Verdade já nasceu viciada pelo nome. Para que a verdade apareça de fato, será preciso que a comissão faça uma análise histórica séria da época do regime militar, com detalhes da situação política mundial, da guerra fria, do objetivo declarado da esquerda brasileira de instaurar uma ditadura tipo castrista no Brasil, de como Cuba se transformou num país prisão, de como os esquerdistas assassinavam e torturavam na sua luta para instaurar tal regime tipo cubano no Brasil. Ou seja, a comissão terá muito trabalho de desmistificar  a luta esquerdista no Brasil.

Se a Comissão da Verdade se tornar na Comissão da Versão esquerdista, haverá, como já está havendo, uma enorme rejeição pela parte das pessoas que tinham conhecimento do banho de sangue que representa um governo comunista e que lutou para evitar essa tragédia no Brasil

Por outro lado, a mistificação da luta armada serviu, e serve ainda, muito bem à política esquerdista, alguns dos canalhas mais vivos haverão de se dar conta de que de repente é melhor deixar as coisas como estão em relação a essa questão.


 

Projeto da Comissão da Verdade emperra no governo e no Câmara

Alvo de resistências na área militar, proposta também não anda no Legislativo, que ainda não instalou comissão especial

11 de março de 2011 | 23h 00

Eugênia Lopes, de O Estado de S. Paulo
BRASÍLIA - Enviado há quase um ano pelo governo ao Congresso, o projeto de lei que institui a Comissão Nacional da Verdade, encarregada de aprofundar as investigações dos crimes cometidos durante o regime militar (1964-1985), não deverá ser votado tão cedo. Além de a comissão especial criada para analisar a proposta não ter começado a funcionar, o projeto enfrenta resistências dentro do Executivo, principalmente da área militar.
"A ideia é chegar a um entendimento, a um acordo, primeiro entre o governo, que precisa afinar sua opinião sobre essa matéria. Depois é preciso fazer um contato entre os líderes e os partidos para tentar construir uma opinião que permita a instalação e votação do projeto", disse o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS). "É um absurdo essa situação. O governo federal detém os dados sobre esse período, mas precisa criar uma comissão para pedir esses dados", afirmou o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ).
Os militares voltaram a criticar a criação da Comissão da Verdade em documento elaborado pelo Exército, em setembro do ano passado. No documento, escreveram que o Brasil "superou muito bem essa etapa de sua história". O Palácio do Planalto pediu explicações ao Ministério da Defesa sobre o documento. No fim de 2010, antes de assumir o governo, a presidente Dilma Rousseff se reuniu com os comandantes das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) para exigir discrição sobre o tema. Essa foi a condição para que permanecessem no cargo.
Encaminhado ao Congresso em maio do ano passado pelo ex-presidente Lula, o projeto prevê que a Comissão da Verdade será integrada por sete pessoas, com prazo de dois anos para concluir o trabalho. O colegiado deverá trazer as recomendações sobre as investigações dos casos de tortura e desaparecimentos ocorridos durante a ditadura militar.