Um blog destinado à luta contra a instauração de uma nova ditadura no Brasil







terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Por que combatemos o PT? Ou: O caudilhão que se dane!

Mudaram-se as estações...
...e nada mudou?

















O PT hoje significa um enorme retrocesso para a política brasileira, isso porque apesar de se dizer progressista, trata-se de um partido que abandonou toda pretensão de representar a modernidade na política (se é que algum dia teve deveras essa pretensão) e abraçou com força tudo aquilo que há de mais atrasado e nocivo, todas as práticas mais deletérias imagináveis, e com que objetivo? Ficar no poder, aumentar o poder até que não sobre mais oposição capaz de perturbar os chefões, desfrutar das benesses do poder, enriquecer-se.

Já vimos tudo isso antes: Ditaduras, caudilhos, populistas, partidos únicos. São coisas antigas e da America Latina e fatores de subdesenvolvimento. Eram práticas atribuídas a conservadores, hoje são práticas disfarçadas de progressistas.

Não podemos ou devemos nos esquecer jamais, todos os grandes avanços que tivemos e que realmente beneficiaram a parcela mais significante da nossa população foi graças ao sistema democrático que permitiu que o povo desse um basta à inflação, colocasse na pauta principal dos governos a questão da educação, da segurança e da saúde.

Hoje em dia, tentam impor ao povo aquela velha discussão em torno dos postes que o caudilhão quer instalar por aí. Será que Haddad poderia ser um bom prefeito? Pouco importa, o importante é que Lula quer pô-lo na prefeitura. Voltamos à velha política personalista. Quem tem câncer e depende do SUS tem pouca chance de cura, mas o importante é que Lula se cure no Sírio-Libanês. Na velha política, a saúde do caudilhão é mais importante do que a saúde de milhões de cidadãos.

O meu trabalho de cidadão e o seu também, caro leitor, é denunciar esse atraso sem desistir. Hoje temos uma ferramenta magnífica que se chama internet. Podemos e devemos espalhar idéias de liberdade e progresso, como a restabelecimento do equilíbrio justo nas eleições onde o candidato retorne a ser mais importante do que o padrinho, o fortalecimento da não ingerência das máquinas públicas nas eleições, o fortalecimento dos TREs e do TSE para coibir definitivamente influencias externas que desequilibram de maneira decisiva e injusta o resultado de eleições onde um candidato tem um apoio mais importante do que sua própria competência.

Combatemos o PT para subordinar a política mais uma vez à vontade do povo, o caudilhão que se dane. 



3 comentários:

Ed Camargo disse...

Não pode haver um compromisso entre Liberdade e controles do governo sobre nossas vidas e sobre à forma como escolhemos nossos representantes. Aceitar somente alguns controles é o mesmo que renunciar o princípio de direitos individuais inalienáveis e substituí-lo pelo princípio de um governo ilimitado, insípido e inépto com poderes arbitrários e dessa forma aos poucos ir se entregando a uma escravatura gradual. Como um exemplo desse processo, observe à atual política doméstica do regime petralha de exorbitantes, obscenos e opressivos impostos e a forma como usam sua falsa democracia permitindo o voto de presidiários e de dependentes do governo e restringindo aqueles que poderiam ser candidatos independentes a cargos eletivos.

Capitão disse...

Eleições são disputas pelo voto do cidadão e como qualquer disputa ou competição(mesmo esportivas), elas requerem regras claras e justas. Se numa corrida de bicicletas alguém consiga disputar com uma moto, há dúvidas sobre quem vai vencer a competição? Nesse contexto, os atributos legítimos de condicionamento físico dos ciclistas se tornam completamente irrelevantes, desnaturando, dessa forma, a razão de ser mesmo da competição. Da mesma forma, uma eleição, cujo personagem maior é um padrinho poderoso com sua máquina estatal, perde sua função original que é determinar um candidato vencedor, aquele que terá de fato o poder nas mãos quando eleito.

Ed Camargo disse...

Hey Capitão: O nosso povo deve se concientizar que políticos fraudulentos são como fraldas. Ambos precisam ser regularmente trocados e pela mesma razão.

Postar um comentário