Um blog destinado à luta contra a instauração de uma nova ditadura no Brasil







sábado, 10 de dezembro de 2011

Cai de vez a farsa de que "o PSDB é um partido de direita"

O "direitista" FHC com Florestan Fernandes, um dos pais do marxismo n Brasil

Escola Florestan Fernandes, do MST


A extrema esquerda no Brasil conseguiu criar uma nova direita na política nacional. Essa nova direita se encontra na esquerda, de modo que, o que existe hoje no Brasil são apenas partidos mais ou menos de esquerda.

A maneira que eles conseguiram isso foi com a farsa do "PSDB, partido de direita". O PSDB nunca foi de direita, nem seus quadros mais importantes. FHC, na sua época de formação intelectual, fazia parte "escola paulista de Sociologia", liderada pelo marxista mais influente do Brasil, Florestan Fernandes. José Serra, perseguido e exilado pela ditadura militar por ser esquerdista, foi líder da UNE nos anos sessenta, organismo controlado, desde sempre, pelos comunistas. Pelo fato da aliança do PSDB com o antigo PFL, partido considerado de direita, para assegurar a governabilidade dos governos FHC e aproveitando as privatizações, a extrema esquerda propagou o rótulo de direitista do PSDB, rótulo que o próprio partido sempre negou.

A verdade é que a aliança com o antigo PFL foi tática, pois o PSDB precisava daquele partido para governar e das privatizações idem, tal era grave a situação socioeconômica do país na época. A verdade é que o governo FHC privatizou algumas empresas estatais, mas estatizou a economia como um todo, dobrando, simplesmente, a carga tributária durante seus oito anos.

Resultado do PSDB no poder: fortalecimento da economia, fortalecimento do financiamento do Estado, consolidação da esquerda no poder com eleição do Molusco e da petralhada, a maior carga tributária dos países BRIC.

Isso explica também a incapacidade do PSDB de ser oposição efetiva e dos constantes afagos de FHC a Dilma, Lula e ao PT. De certa maneira, explica até o nascimento do PSD, partido cujo surgimento é o resultado de um vácuo existente no espaço político que normalmente é reservado para a direita e a oposição à esquerda.

"PSDB, partido de direita": mais uma mentira, mais uma embromação para enganar o povo, trazida para você pelo Partido dos Trambiqueiros.

2 comentários:

Ed Camargo disse...

Um sinal eloquente da corrupção moral dos nossos dias é a presunção com a qual os socialistas e seus simpatizantes, os liberais esquerdopatas resguardam as atrocidades perpetradas em paises socialistas e aceitam as regras pelo terror como um meio de vida, enquanto se passam por advogados da irmandade humanna. Nos anos de 1930, eles protestaram contra as atrocidades da Alemanha Nazista. Mas, aparentemente, isso não foi um assunto de princípio moral, mas somente um protesto contra uma gang rival lutando pelo mesmo território. Digo isso porque ja não houvimos suas vôzes. Em nome da humanidade, eles condenam e aceitam o seguinte: A abolição de toda a liberdade e todos os direitos, a expropriação de toda propriedade, e a introdução de trabalho escravo o qual j se tornou a nossa realidade, pois pagamos 70% do nosso ganho em impostos. Qdo observamos o pesadelo dos esforços desesperados por centenas de pessoas tentando escapar dos paises socializados da Europa, p/ escaparem sobre cercas de arames farpados e sob o fogo de metralhadoras, uma pessoa não tem como acreditar que o socialismo, em qquer forma que seja, é motivado pela benevolência e pelo desejo de alcançar o melhor padrão de vida do homem. Nenhum homem de autêntica benevolência poderia evadir ou ignorar o imenso horror em uma escala tão vasta. O socialismo não é um movimento do povo. Ele é um movimento de intelectuais, originado, dirigido e controlado pelos intelectuais, perpetrado por eles de dentro de suas torres de marfin para os campos ensanguentados de sua prática onde eles se unem com seus aliados e executores: Os criminosos.

Capitão disse...

Gostaria de adicionar a sua análise, Ed, que eu pessoalmente acredito que o socialismo é o resultado de uma expressão coletiva de profunda infelicidade e frustração espiritual de seus mentores (principalmente Karl Marx). O marxismo tem como um de seus pilares a negação total de Deus e da religião. É uma ideologia que é fruto da modernidade no sentido científico, ou seja, só existe aquilo que possa ser validado pelo método scientífico. O socialista não consegue acreditar em Deus porque não consegue observá-lo sob um microscópio (socialismo científico de Marx e Engels).Os gênios negaram milhares de anos de evolução espiritual da humanidade. Negando Deus, eles confirmaram o diabo e o inferno na forma de assassinatos e torturas em massa, mas não viveram para testemunhar o estrago,pois ele só veio no século vinte. O autor Paul Johnson conseguiu sintetizar bem os resultados práticos da obra de Karl Marx:

"No devido tempo, Lênin, Stálin e Mao Tsé-Tung puseram em prática, numa imensa escala, a violência que Marx trazia em seu íntimo e que transpira em sua obra."

Postar um comentário